1 de ago de 2007

You get what you pay for

Tive uma reunião com um empresário que, querendo franquear um negócio por ele concebido, saiu à procura de empresas de consultoria que pudessem trabalhar com ele na estruturação de um Projeto para tanto.

Achou várias empresas que considerou caras (inclusive a minha). Até que, finalmente, encontrou uma que cobrava um valor que ele considerou justo. Um valor, diga-se de passagem, bem mais baixo.

Pagou. E, em troca, recebeu um Plano que não lhe serviu para nada. E que ele até desconfia que é um "Plano-Padrão", feito na base do "copiar-e-colar".

Resultado: está novamente à procura de uma das empresas "caras". Ou seja: pagou pelo serviço da empresa baratinha (se é que alguém podem considerar barato R$ 10 mil que geram resultado zero e, portanto, é como se tivessem sido picados e jogados pela janela)e VAI TORNAR A PAGAR, agora pelo serviço de uma consultoria decente.

Pelo que me disse, finalmente percebeu que, como dizem os americanos, "não há nada no mundo que não possa ser feito de um jeito um pouco pior para ser vendido um pouco mais barato". Ou, como dizia minha avó, "o barato sai caro".