3 de ago de 2007

Com a proliferação dos casamentos gays...

... era só uma questão de tempo até que aparecessem negócios dispostos a faturar com esse nicho de mercado. Em Barcelona, Espanha, já existe a BY, o equivalente a uma "boutique de noivas", ou melhor uma "boutique de casamento" para homens gays. Sua especialidade são costumes criados por designers famosos e confeccionados sob medida por ateliês espanhóis. Os preços de um traje variam de 1.500 a 7.000 Euros (em números redondos, de R$ 4.000 a R$ 18.000). E a loja também oferece alianças de casamento e acessórios variados. Tudo a preços razoavelmente elevados.

O mercado formado pelos gays constitui um nicho com imenso potencial para negócios bem planejados, bem executados e bem posicionados. Há muito dinheiro nesse segmento. Afinal, os casais gays, de forma geral, se enquadram na categoria de consumidores que os especialistas americanos denominam DINK (as iniciais de Double Income No Kids, ou Renda Dupla e Sem Filhos).

Os casais que compõem a categoria DINK, precisamente por serem formados por dois geradores de renda e por não terem que fazer frente a custos e despesas naturais para quem tem filhos (que vão de fraldas descartáveis a cursos de Inglês no Exterior, passando por mensalidades escolares, aparelhos ortodônticos, roupinhas, vacinas e mais um milhão de pequenas, médias e grandes coisas), dispõem de mais dinheiro para gastar consigo mesmos, com coisas que lhes dão satisfação.

E é bom lembrar que o casamento entre pessoas do mesmo sexo já é legal na Bélgica, Espanha, Holanda, Canadá e África do Sul. E é muito provável que, aos poucos, essa lista vá incorporando mais e mais países.