15 de mai de 2007

Vida de empreendedor

Vamos encarar um fato da vida. Nem bom, nem ruim. Um fato. Quando você inicia um novo negócio, um novo empreendimento de qualquer espécie, deve avaliar, planejar e executar tudo da melhor forma possível, para reduzir seus riscos ao mínimo e potencializar os resultados, certo?

Só que, por mais cuidadosamente que planeje e execute seu plano, o resultado depende, em boa parte, de variáveis imponderáveis: o mercado, a legislação, a economia local e mundial, as ações e reações dos concorrentes, o surgimento de substitutos para o seu produto ou serviço e mais uma série de coisas. Não há como prever muito disso. É como velejar de um porto a outro: você pode (e deve) traçar a rota, equipar o barco, checar as velas, o cordame e as provisões. Mas não tem como garantir que o vento, a chuva e as ondas se comportem da forma que convém. O poeta espanhol Antonio Machado já disse que no mar "no hay camino, se hace camino al andar".

Portanto, embora deva planejar e executar com cuidado, você não tem como saber no que seu empreendimento vai dar. Pode dar muito mais certo do que você esperava, ou pode dar com os burros n'água.

Sendo assim, trate de se divertir com ele. Ter sucesso na montagem e gestão de um negócio não tem a ver apenas com chegar a um resultado, a um destino. Tem muito a ver com curtir a viagem até lá.