24 de jun de 2009

O anti-marketing da Lusitana Mudanças

Marketing é tudo aquilo que afeta a imagem que o público-alvo e os formadores de opinião têm de um produto, um serviço, uma empresa, uma marca. Tudo mesmo.

Pois acabo de assistir a um excelente exemplo de anti-marketing: um caminhão da Lusitana, com o logo e a velha e o velho e conhecido slogan ("o Mundo gira e a Lusitana") fechar o cruzamento da Alameda Casa Branca com a Alameda Santos, em São Paulo.

9h e 10m da manhã de uma quarta-feira nublada, com possibilidade de chuva, trânsito caótico, todo mundo atrasado, nervoso, tenso. E o cretino do motorista da Lusitana, mesmo vendo que o trânsito da Alameda Casa Branca (que ele subia, em direção à Av. Paulista) não andava, decidiu que era o dono da rua e avançou o sinal amarelo, fechando o cruzamento e impedindo quem vinha pela Alameda Santos (que, milagrosamente, andava) de avançar.

Com certeza, todos os motoristas e demais pessoas que assistiram à cena (incluindo este que vos escreve) ficaram com péssima impressão da marca. Impressão essa que (consciente, ou inconscientemente) pode afetar sua decisão de compra, da próxima vez que tiverem que contratar uma empresa de mudanças.

Empresário: é fundamental capacitar a conscientizar seus funcionários. Cada um deles acaba sendo visto como um "embaixador" da marca. E qualquer ato seu pode afetar a imagem desta aos olhos do consumidor e/ou dos que ajudam a formar a opinião do consumidor.