21 de out de 2007

"Quem não sabe sorrir não deveria ter uma loja"

Esse é um velho ditado chinês. Cheio de verdade, como quase todo velho ditado chinês. A realidade é que aquele que não sabe sorrir não deveria TRABALHAR em nada que requeira contato com o público.

Não é uma delícia quando você vai a algum lugar e é super bem atendido, por pessoas eficientes, que sabem fazer bem seu trabalho e, ainda por cima, sorriem e são simpáticas? Pois aconteceu ontem comigo.

Embora eu deteste trabalhar nos finais de semana, não houve jeito: tive que agendar uma reunião para ontem, sabadão, ao meio-dia. Os outros dois participantes definiram que poderia ser num bar ou café, num ponto mais ou menos equidistante de nossas residências. Dentro desses critérios, coube a mim definir o local. E eu escolhi o Santo Grão, na Oscar Freire.

A escolha não poderia ter sido mais acertada: café bom, cerveja estupidamente gelada, gente bonita e, mais que tudo, atendentes para lá de simpáticos e sorridentes. Que não precisaram de nenhum script para cumprir bem o seu papel. Nota mil!

Alguém poderia me explicar por que diabos não é sempre assim em todos os lugares?

O que tem de gente de cara amarrada e despreparada para lidar com o público gerindo e trabalhando em lojas, bares, restaurantes, etc. não é mole. Não precisa ser assim. Não deveria ser assim. Só gente que gosta de gente deveria ser posta em contato com os clientes. Os resto deveria ser posto em algum lugar onde não possa nem ver os clientes. Ou posto no olho da rua.