27 de mai de 2009

Não, as oportunidades não virão bater à sua porta

Texto original do meu artigo publicado na Gazeta Mercantil na semana passada:

O que não falta é oportunidade [artigo de Marcelo Cherto]

Não agüento quem diz que “bom era no tempo do meu avô” ou “na década de 1970 é que havia oportunidades neste país” ou coisas assim. Vão plantar batatas! Nunca houve tanta oportunidade como agora. Mas, e a crise? Vá por mim: as crises costumam gerar ainda mais oportunidades. Afinal, toda oportunidade decorre de uma necessidade. E toda crise é prenha de necessidades.

Poucas semanas atrás, Chris Hughes, o garoto de apenas 25 anos de idade que criou o Facebook e depois se tornou o principal arquiteto da vitoriosa campanha de Barack Obama na Internet, palestrou no mesmo evento que eu, o Endeavor Entrepreneus Summit, em Miami. Quando lhe perguntaram por que motivo o Facebook deu tão certo, sua resposta foi: “porque atende a uma necessidade humana básica, que é estar conectado com quem tem importância para a gente”.

Anote aí: só há negócio se houver uma necessidade básica a ser atendida. E se quem toca o negócio for capaz de identificar e acessar gente suficiente disposta a pagar para ter essa necessidade atendida e conseguir entregar a solução a um custo mais baixo do que essas pessoas estão dispostas a pagar por ela.

E há tantas necessidades a atender! Pessoalmente, lamento duas coisas: já ter 55 anos (e, assim, não mais que uns 30 ou 40 anos de vida produtiva pela frente) e a semana só ter 7 dias e cada dia só ter 24 horas. São fatores que conspiram para me impedir de explorar todas as oportunidades que percebo à minha volta o tempo todo.

E porque muita gente não as percebe? A meu ver, por dois motivos principais:

1. ao contrário do que dizem canções e ditados, raramente as oportunidades batem à porta de alguém. Elas andam por aí, pelas ruas, pelos shoppings, pelos bares e pelos parques, nos comportamentos, nos escritos e nas falas das pessoas, se exibindo para quem tiver olhos para vê-las e quiser tirar proveito delas; e

2. geralmente, é preciso sair da acomodação para tirar proveito de uma oportunidade. E é muito mais fácil a gente se acomodar. Afinal, como diz meu amigo Néocles, para se acomodar a gente não precisa fazer nada.

Portanto, minha receita para encontrar oportunidades é: circule, saia da toca, vá a exposições de arte, shows e concertos, converse com pessoas diferentes, assine blogs de gente interessante e interessada, navegue no Twitter, observe como as pessoas compram e do que se queixam. Freqüente ambientes criativos, dinâmicos, empreendedores. Faça isso com os olhos, o coração e a mente abertos, e vai perceber quanta oportunidade existe. Encontrando uma que valha a pena, tire o traseirinho da cadeira e dê duro para que ela se materialize.

E você nunca mais vai dizer - nem tolerar que digam - que tempo bom era quando vovô andava de lambreta.

****************************************************************

Marcelo Cherto é CEO da GrowBiz – grow your business (www.growbiz.com.br), membro do Conselho Consultivo Global da Endeavor e integrante da Academia Brasileira de Marketing.