1 de jul de 2008

Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa

O fato de uma boa parte de nossas autoridades atuais serem oriundas dos movimentos de esquerda (movimento estudantil, movimento sindical, etc) gera um efeito colateral altamente nocivo: faz com que confundam a repressão a atividades contrárias à Lei e à Sociedade com a repressão à liberdade de expressão e à liberdade política, de que foram vítimas nos anos 1960 e 1970.

O resultado é isso que se vê: caminhoneiros, professores e motoboys que, ao arrepio da lei e sem o menor constrangimento ou respeito pelos cidadãos direitos e pelos direitos dos cidadãos, a três por quatro paralisam uma cidade como São Paulo; integrantes do MST que invadem terras produtivas; sindicalistas e estudantes que invadem prédios públicos e por aí vai. Tudo sem que sofram qualquer restrição ou consequência.

Até quando as assim chamadas "autoridades" (pois sim!) vão seguir confundindo democracia com zona? Até quando vão insistir em ignorar que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa? Até quando vão negar o sábio preceito de que direito tem quem direito anda?