3 de jul de 2008

Ser feliz tem mais a ver com opção do que com sorte

Na palestra que fez ontem, na Livraria da Vila da Alameda Lorena, para convidados do Grupo Cherto, a Vereadora Mara Gabrilli, que, apesar de tetraplégica (não move nem um único músculo do pescoço para baixo), concretiza mais coisas do que muitos dos demais políticos tupiniquins, deu um verdadeiro show.

Sua vida, por si só, é uma lição de garra e de superação. E, além disso, Mara fala bem, com alegria e uma energia contagiante.

Sempre que estou com ela, me vêm à cabeça duas das minhas frases favoritas:

Uma, que ouvi do Lair Ribeiro, é: "nunca permita que aquilo que você não pode fazer o impeça de fazer aquilo que você pode fazer".

A outra, que ouvi de Edson de Godoy Bueno, que começou a vida como engraxate, formou-se em Medicina, criou a Amil num subúrbio do Rio e acabou de fazer o IPO da empresa, tornando-se um dos poucos bilionários brasileiros, é: "nunca deixe que suas memórias se tornem maiores que seus sonhos".

A essas, acrescento, a partir de agora, uma terceira, que ouvi da própria Mara: "tenho certeza de que um dia voltarei a andar. Mas não vou esperar que isso aconteça para ser feliz".

E você, que lê este blog, o que está esperando para ser feliz?