20 de abr de 2008

Reflexões num domingo chuvoso (e de trabalho)

Pode ser apenas fruto do mau humor de quem se vê obrigado a trabalhar pelo quarto ou quinto domingo sucessivo, mas fiquei pensando que, além de transformar o trânsito das grandes cidades num verdadeiro infero, essa facilidade excessiva para se comprar um carro tende gerar outro efeito negativo: um crescimento na indústria do "roubauto".

A verdade é que tá assim de carinha comprando carros acima do que suas condições financeiras realmente permitem. Enquanto esses veículos forem novos, tudo bem. De um jeito, ou de outro, cortando daqui e dali, o cidadão vai pagando as prestações. E, hoje em dia, carro novo tende a quebrar pouco. E, quando quebra, geralmente a garantia cobre. Mas...

Como vai ser quando terminar o período de garantia? (que é justamente quando a maioria dos veículos começa a dar algum tipo de probleminha)

Onde esses caras vão arrumar grana para fazer a manutenção adequada? E para substituir as peças que estiverem com problemas? É quase certo que alguns tenderão a buscar lugares onde, "inexplicavelmente", essas peças são muito mais baratas do que o mercado costuma cobrar por elas.

E de onde será que vêm essas peças "tão mais em conta"?

Eu não sei exatamente a resposta, mas tenho lá minhas suspeitas...