28 de fev de 2007

Dá para viver só de royalties?

Estive com 2 executivos de uma empresa que pretende iniciar a concessão de franquias. Um consultor com quem estiveram afirmou categoricamente (segundo eles, antes mesmo de estudar suficientemente o assunto), que franqueador que se preze tem que viver (e lucrar) apenas dos royalties que cobra de seus franqueados.

Indo direto ao ponto, queriam saber minha opinião sobre o tema. E eu lhes dei a única resposta que alguém na minha posição poderia dar: "não sei".

Tenho pavor de consultores, médicos, advogados e outros profissionais que, mesmo sem examinar inteiramente a situação e sem ter dela uma visão sistêmica, já vêm com uma solução. Não acredito que alguém que não conheça muito bem o problema possa ter a solução. Não acredito em tirar coelhos da cartola. Não acredito em soluções "tamanho único", nem em receitas prontas.

Se há algo que minha experiência de mais de 20 anos como consultor me ensinou é que cada caso é um caso. O que funciona bem para a empresa X pode ser um desastre para Y. Portanto, pode ser que para uma viver apenas de royalties seja não apenas viável, mas até recomendável. Mas não dá aplicar o mesmo remédio a todas as empresas em todas as situações.

Na prática, conheço poucas empresas franqueadoras que possam (ou devam) se dar ao luxo de não explorar outras fontes de receita, além dos royalties.