4 de jan de 2011

Para vc, que vai à NRF-2011: dicas para aproveitar Nova York

Lembre-se de que Nova York é bem mais que a NRF. Você estará na capital cultural do planeta. Portanto, aproveite para fazer outras coisas, além de visitar lojas, fazer compras, visitar a feira e assistir a palestras.

Para quem gosta de Edward Hopper (meu pintor americano favorito), há uma exposição que me parece bastante interessante no Whitney Museum of American Art. Um museuzinho bacana e acolhedor. Se for lá, aproveite para ver também os móbiles do Calder. Especialmente o Circus, que é o máximo.

O MoMA – Museum of Modern Art e o Guggenheim sempre valem a visita. Inclusive pela arquitetura dos prédios onde estão instalados. No MoMA, recomendo não deixar de visitar a seção de Design.

O Metropolitan Museum, ou MET, como é mais conhecido, é o máximo. Mas lembre-se de que, como é imenso, visitá-lo demanda tempo. Nem pense em ver tudo num dia só. Quando vou lá, costumo escolher no máximo 2 ou 3 seções e investir pelo menos 2 ou 3 horas nelas.

O Planetário Hayden, do Museu Nacional de História Natural é fantástico. Para quem gosta desse tipo de coisa, é claro. O próprio museu também é muito interessante. Mas, pelo tamanho do acervo, visitá-lo toma um bom tempo.

Neste site você encontra uma lista da maioria dos shows e musicais que acontecem neste momento em Nova York. Se pretender assistir a algum deles, é melhor comprar os ingressos já. Ou assim que chegar lá. Os bons sempre lotam com muita antecedência. Se bem que lá, como aqui, há cambistas bastante eficientes. Mas paga-se o preço dessa eficiência...

Restaurantes e lanchonetes, há para todos os bolsos e paladares. E esse papo de que nos EUA se come mal é conversa de quem não sabe escolher onde ir.

Um toque: a gorjeta em Nova York é mais alta do que no Brasil. Normalmente, é de 15%. E já há restaurantes que incluem até 20% na conta. Porém, de forma geral, não está incluída na nota. E deve ser adicionada por você (que pode, inclusive, adicioná-la à mão no boleto do cartão de crédito, antes de assiná-lo e entregá-lo ao garçon). Para calcular os 15%, uso um método simples: multiplico por 2 a taxa (imposto sobre vendas) que vem destacada na nota (que, em NY, é de 8%) e dou uma arredondada.

Se pegar um táxi, dê uma gorjetinha também. É de praxe. Não precisa ser muita coisa. Arredondar a conta, acrescentando 50 cents, 75 cents, um dólar ou algo assim, é “de bom tom”.

Compras: Nova York é o paraíso do consumo. Tem de tudo, para todos os bolsos e gostos. A gente precisa se cuidar para não se empolgar. E para não ser ludibriado. Se alguma oferta parecer boa demais para ser verdade, provavelmente é mesmo. Procure comprar em lojas conhecidas, de marca, confiáveis.

Se pensar em comprar algum equipamento eletrônico, câmera, ou algo assim, nem pense em entrar nas lojinhas boca de porco que há por toda parte. Vá direto à B&H, uma loja de judeus hassidi (que, por isso mesmo, não funciona do final da tarde 6ª-feira até a noite do sábado... mas abre no domingo). Ali vc encontra preços baixos e - raridade das raridades - vendedores que realmente entendem do que vendem, dão bons conselhos e, muitas vezes, deixam de lhe vender um produto mais caro por estarem convencidos de que vc não precisa dele e que um mais barato atende às suas necessidades. Já aconteceu comigo e com pessoas que conheço. E não é pegadinha, não...

Mesmo que não vá comprar nada do gênero, vale a pena visitar a B&H para conhecer o sistema de esteiras rolantes que levam os produtos para cima e para baixo (do estoque ao balcão e do balcão ao Caixa). É muito interessante.

Se vc gosta de correr, há bons circuitos no Central Park. Mas se agasalhe bem, que a previsão para os dias de NRF-2011 é de temperaturas entre Menos 4º e Mais 4º. Bem razoável para essa época do ano... mas bem mais frio do que na maior parte do Brasil.

Uma boa notícia: não há previsão de nevascas fortes durante esses dias. Nem de chuva pesada. Só um pouquinho de neve aqui e ali, bem de leve. E sol a maior parte do tempo. Aliás, quando olhar pela janela do seu quarto, com o aquecimento ligado e coisa e tal, não se deixe iludir. A probabilidade é de lá fora estar frio paca.

Fundamental: vá preparado(a) para que esse frio não impeça você de aproveitar ao máximo essa cidade fantástica que é Nova York.

Leve um sobretudo ou casaco quente, que possa vestir por cima das outras roupas. E que seja fácil de tirar e vestir. Os novaiorquinos adoram um ar-condicionado e uma calefação a mil. No verão, quando na rua a temperatura pode passar de 40 graus Celsius, dentro das lojas a gente congela. E agora, no inverno, esteja preparado(a) para temperaturas um pouco abaixo ou um pouco acima de zero nas ruas e de 27 ou 30 graus Celsius no interior dos edifícios. Portanto, não é uma boa idéia vestir roupas quentíssimas que vc não consiga tirar e voltar a vestir facilmente.

Um cachecol de lã, luvas quentes e sapatos ou botas com sola de borracha também são uma boa pedida. No caso dos sapatos, primeiro por isolarem melhor os pés do frio que vem da calçada (que, muitas vezes, estará mais fria que o interior de seu congelador). E depois porque, no caso de nevar enquanto estiver lá (e a previsão é de termos um pouquinho de neve no período da NRF), ajudam a reduzir o risco de escorregões quando a neve se transformar em gelo. E de encharcar os pés, quando o gelo derreter e se transformar numa água lamacenta.

Se vc toma algum tipo de remédio que exija receita, leve-o com você. Comprar remédios sem receita lá é praticamente impossível.

Por último, esteja atento(a) para o fato de que, embora Nova York seja, atualmente, bem mais segura do que São Paulo ou o Rio, é uma grande metrópole. Com os problemas que qualquer grande metrópole enfrenta.

Portanto, não precisa se estressar... mas também não vacile. Como se diz na minha terra (a aprazível Santos), “siri que bóia, a onda leva”...