26 de nov de 2009

Se quiser visitar gratuitamente a HSM ExpoManagement (área de exposição)...

... é só clicar aqui, preencher o formulário online e retirar sua Credencial gratuita na bilheteria do evento. Você vai poder visitar toda a área de exposição (não deixe de ir ao espaço da Franchise Store!) e assistir a palestras nos mini-auditórios que estão espalhados por essa área de exposição.

A HSM ExpoManagement acontece de 30/11 a 02/12, no Transamérica ExpoCenter, em São Paulo.

Franchise Store terá um espaço na ExpoManagement da HSM

A Franchise Store estará presente a mais uma ExpoManagement, que acontece de 30/11 a 02/12 no Transamérica ExpoCenter, à Rua Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387, no bairro de Santo Amaro, em São Paulo, Capital (atrás do Hotel Transamérica da Marginal).

Desta vez, a Franchise Store exporá ali as franquias de 18 das mais de 60 marcas que comercializa na loja física que fica também em São Paulo, à Av. 9 de Julho, 4.400 (esquina da Rua Martinica).

Se você se interessa por franquia e vai à ExpoManagement, não perca a oportunidade de visitar a Franchise Store lá.

Muito pior do que falhar é nem tentar

O Portal Mundo do Marketing, comandado pelo Bruno Mello, publicou um texto que fala da necessidade imperiosa de ousar e tomar a iniciativa. Para ler, basta clicar aqui.

24 de nov de 2009

Adianta o McDonald's trocar por verde o vermelho do fundo do seu logo?

Sei não, mas essa história do McDonald's trocar, na Europa, a cor vermelha do fundo de seu logo por um tom de verde-quase-bandeira-do-Brasil "para se mostrar uma empresa preocupada com a preservação do meio ambiente" me lembrou o caso que contam de um Secretário Municipal de minha terra natal, a gloriosa e pacata cidade praiana de Santos, que, lá pelos anos 1970 (quando a cidade - que sempre teve fama de ser "reduto da esquerda" - era administrada por um interventor nomeado pelos militares), teria proposto pintar de verde algumas trechos do asfalto da avenida da praia, com o objetivo de "ampliar a área verde do município"...

O ingrediente "secreto" do sucesso - ou talento não basta

Toda vez que você encontrar alguém bem sucedido, seja nos negócios, no esporte, nas artes, ou no que for, pode ter certeza de que não é apenas uma questão de talento, de sorte ou de inteligência.

Analisando um montão de gente bem sucedida que conheço, sou obrigado a reconhecer que um mínimo de talento, um pouco de sorte e uma certa dose de inteligência são fundamentais. Mas, mas acima de tudo isso, em ordem de importância, na minha humilde visão, está a disciplina. Pode chamar de garra, determinação, persistência ou outro apelido que soe melhor a seus ouvidos.

Estou cansado de conhecer gente talentosa, inteligente e até sortuda que não chega a lugar nenhum. Fica marcando passo. E reclamando da vida. Mas não mostra disposição para fazer nenhum sacrifício, para tirar o traseirinho da cadeira e fazer o que resolve.

No fundo, o segredo do sucesso está na execução com disciplina, mas do que no talento ou numa estratégia super bem bolada.

23 de nov de 2009

Quer saber como conseguir mais clientes?

Clique aqui para ler a resposta que dei a uma leitora da Pequenas Empresas Grandes Negócios, que tinha essa dúvida.

22 de nov de 2009

Presentes transados a preços camaradas, num espaço bacana, cheio de gente legal

Isso existe: é o Happy Art 2009, que está sendo organizado por minha amiga Carla Ferraro. Itens produzidos por artistas hiper-bacanas como Guto Lacaz, Nice De Cara (que vem a ser minha mulher), Paulo Von Poser, Marcelo Cipis, Isabelle Tuchband, Luiz Paulo Baravelli, Marco Mariutti e mais um monte de gente do mesmo naipe.

E ainda tem shows do Toquinho (no dia 26/11 às 20h), do Christophe Les Serges (dia 27/11 às 20h), Jessica Areias (28/11 às 17h) e Glaucia Nasser (dia 29/11 às 17h).

O Happy Art abre no dia 26/11 às 18:30h no Atelier do Hugo França, à Rua Gomes de Carvalho, 585, na Vila Olímpia, em São Paulo. E funciona de 27 a 29/11 das 12h ás 20h. Não perca!

21 de nov de 2009

Usando apenas os dedos e uma superfície coberta com areia...

... a jovem ucraniana Kseniya Simonova vai desenhando a história da invasão da Ucrânia pelos alemães, na II Guerra Mundial. Imperdível. Foi meu irmão Carlos quem me enviou do Uruguai o link para este vídeo da artista em ação:

Franchise Store entra no negócio de repasse de franquias em operação

A Franchise Store ampliou seu portfolio de serviços, passando a oferecer, ao lado de franquias "zero km", também o repasse de franquias já em operação. Clique aqui para saber mais.

Catálogo online de loja de departamentos holandesa

Clique aqui para entrar no site e não faça mais nada. Apenas aguarde. Bem divertido.

Mais uma colaboração do Gândara.

20 de nov de 2009

Foi assim que comecei a fuçar a Internet...

Minhas primeiras surfadas na internet, lá pelos idos de 1993, foram através do BBS criado pelo pioneiro da rede no Brasil, hoje meu amigo, Aleksandar Mandic. Era um inferno: só conexão discada. E por linhas na maioria analógicas, com discagem por pulso. Caía umas 30 vezes por hora. As interfaces eram horríveis. Havia limitação do tempo de acesso por dia: apenas 1 hora.

Mas era o máximo! Um novo mundo que se descortinava. Minha vida nunca mais seria a mesma, depois que descobri a Internet. E a Mandic está fazendo 20 anos!!!

A foto abaixo, tirada pelo próprio Mandic, mostra como era o "data center" do BBS em 1992:

18 de nov de 2009

Com relação ao post abaixo (da Menina do Hot-Dog)...

... a Mayra Carvalho, que é bonita e bem sucedida (mas não por ser bonita), fez um comentário interessante: "é um absurdo que algumas mulheres acreditem que podem vencer na vida só com a beleza...". Disse pouco, mas disse bem.

Não consigo decidir se tenho pena ou raiva...

Essa cultura de instant celebrity sem conteúdo já deu, não é? Por outro lado, essa coitadinha é apenas mais uma vítima...

15 de nov de 2009

Marketeiro, franqueador e guitarrista

Pouca gente sabe que meu amigo Marinho Ponci, além de Diretor de Marketing da Chilli Beans, também é guitarrista (dos bons) e tem uma ótima banda de Soul Music, a Reverendo Franklin. Confira clicando na imagem abaixo:

13 de nov de 2009

Amanhã abre uma nova Apple Store em Nova York

Clique aqui para saber mais detalhes e ver as primeiras fotos.

As redes complexas e o Apagão

Em mais um texto brilhante, que tomo a liberdade de replicar aqui, meu amigo e parceiro Clemente Nobrega dá sua visão de cientista sobre o Blackout (Apagão) que abalou o Brasil há alguns dias:

"A lição é a mesma da crise financeira internacional. Quanto mais se conectam elementos a uma rede, maior é a chance de surgirem efeitos não previstos. Isso é matemática. Tem a ver com o que chamam de topologia de redes complexas.

Algumas vezes, esses efeitos não previstos podem ser catastróficos (principalmente ,como no nosso caso, quando se soma doses cavalares de incompetência às conseqüências da topologia de redes densamente conectadas. “Ei, Ministro Lobão, você estava fazendo o quê na hora do blackout? Pintando o cabelo?"). Tire a incompetência e já teremos nossa dose de surpresas desagradáveis (a rede não perdoa). Com ela então…

Diz aí: o que apagões elétricos, crises financeiras e terrorismo têm em comum? São todas manifestações que poderiam ser limitadas, ou totalmente eliminadas, se decidíssemos cortar os links entre os elementos que as compõem e deixar os “nós” funcionarem localmente apenas. Se a produção e consumo de eletricidade fosse local (em cada cidade), cada blackout seria local também. Dá pra fazer? Não.

Se você desligar o comércio internacional (cortar os links), não teremos mais problemas com relação aos impactos, digamos, das decisões do Banco Central Japonês sobre nossa economia. Em compensação, veríamos o derretimento da economia global. Fechar as fronteiras reduz o perigo de ataques terroristas, mas também destrói o sonho de sociedade plural e diversa. Se você isolar, cortando os links, tudo piora. Ficaremos mais pobres e mais burros. Cuba não tem futuro. Isolado, nada tem.

Falhas em cascata são comuns em redes complexas (muito densamente conectadas). Elas acontecem na Internet, onde o tráfego é redirecionado para compensar roteadores que funcionam mal. Isso às vezes causa recusa de serviço por parte dos roteadores que absorvem tarefas-extra sem ter capacidade para isso. Vimos a mesma coisa quando, em 1997, o FMI pressionou os bancos centrais de vários países asiáticos a limitarem a concessão de crédito. Isso causou um efeito cascata que levou à quebra de muitos bancos e empresas mundo afora.

Numa rede típica, mesmo densamente conectada, a maioria das falhas acontece localmente e é absorvida localmente também, o mundo nem fica sabendo delas. Algumas, porém, se infiltram (percolam) para dentro das malhas tecnológicas ou sociais e nos atingem a partir das mais inesperadas direções. A menos que queiramos nos isolar, cortando as conexões, a única maneira de mudar o mundo é melhorando cada nó e seus links. Como se poderia fazer isso?"

O Brasil é a bola da vez

Clique aqui para ler a matéria de capa da edição atual da The Economist, que mostra que o Brasil deixou de ser "o país do futuro" e decolou de vez. Vale a pena ler.

11 de nov de 2009

Caos nas comunicações

Efeitos do apagão peçonhento: na GrowBiz, não estamos conseguindo fazer nem receber chamadas, nem pelos fixos (Telefonica), nem pelos celulares (Claro). Também não conseguimos receber (nem enviar) e-mails pelo Blackberry.

Ou seja: caos total nas nossas comunicações.

9 de nov de 2009

Uniban consegue piorar ainda mais uma situação que já era péssima

A decisão, tomada pela Uniban, de expulsar a aluna que foi à aula de mini-saia e, por causa disso, foi xingada, hostilizada e ameaçada de estupro por cerca de 700 de seus próprios colegas, foi, do ponto de vista de Marketing, simplesmente desastrosa.

Parece que ninguém parou para pensar no efeito que os fatos poderão ter sobre a imagem, não apenas da instituição, mas dos portadores de diplomas expedidos por ela. A maioria dos quais investiu sangue, suór e lágrimas para conseguir cursá-la na esperança de que o diploma se convertesse no passaporte para uma vida melhor.

Não cabe discutir aqui se a roupa que a moça usou é de bom gosto, ou não. Não é, é vulgar. E tão adequada ao ambiente (ou inadequada, depende do ponto de vista) quanto os bonés portados por vários de seus colegas que aparecem nos vídeos que mostram cenas da histeria coletiva que acometeu aquela turba. Nem cada questionar se cada um tem o direito de usar a roupa que quiser, para ir à faculdade, ainda que de aparência vulgar. Tem, é claro. Basta que não ponha em risco a segurança ou o bem-estar dos demais, nem atente contra o pudor. E, desde pelo menos 1967, acho difícil que usar uma saia curta numa faculdade possa ser considerado um atentado ao pudor.

Cabe discutir é que à Universidade competia ter (e demonstrar) um pouco (ou um bocado) mais de ponderação. E jamais tomar uma decisão que pune a vítima e deixa livres seus algozes talebans.

Clique aqui para ler o comentário muito oportuno do genial Contardo Calligaris a respeito do tema. E aqui para ler o que o Luiz Marinho escreveu a respeito do mesmo assunto e sobre o nível de alguns alunos das chamadas universidades populares. Faço minhas as palavras dos dois.

3 de nov de 2009

Vivemos em tempos incríveis...

... e, ainda assim, a gente só reclama. Não reconhece que testemunha, todos os dias, várias vezes por dias, verdadeiros "milagres" da ciência.

Assista ao vídeo abaixo, que minha amiga gringa Janet Racy me enviou de Nova York (infelizmente, em Inglês e sem legendas), e me diga se não é mesmo assim: