30 de jun de 2009

Aliança Franchise Store + Banco do Nordeste também saiu no Portal Exame

Entrevista do Ricardo Pastore no Panorama do Brasil

Clique aqui para assistir à entrevista que meu sócio Ricardo Pastore concedeu ao programa Panorama do Brasil.

Sem vaselina...

Comentário de Luiz Alberto Marinho, no Twitter, hoje (30/06) cedo: Comemore! Hoje, por volta das 15h20, chegamos a R$ 500 bilhões em impostos municipais, estaduais e federais pagos pelos contribuintes desde 1º de janeiro!

Madison Avenue Blues

A Madison Avenue, em Manhattan, é onde ficam concentradas as principais empresas do mercado publicitário dos EUA. Assista ao vídeo que o Marcus Vinicius Doti me enviou do Rio de Janeiro:

29 de jun de 2009

Não deu no New York Times, mas deu na Folha de S. Paulo

O convênio entre a Franchise Store (uma empresa Cherto) e o Banco do Nordeste foi notícia na Coluna Mercado Aberto, de Guilherme Barros, na Folha de S. Paulo:

Lições de vida

Eu achava que já havia postado este comercial aqui no Blog (em Espanhol), mas não consegui encontrá-lo. O Gândara me enviou a versão abaixo, com legendas em Português.

Mesmo que seja um repeteco, vale a pena ver de novo. E incorporar os sábios conselhos que o Espanhol mais velho de todos dá a um recém nascido.

A gente precisa de coisas assim, para não perder a fé em tempos de tantos escândalos no Senado (atos secretos, Sarneysismos mil, 10.000 funcionários para 81 senadores e o diabo a quatro).

27 de jun de 2009

O curso de vendas consultivas ministrado pelo Dagoberto Hajjar

Passei todo o dia de ontem e uma boa parte do dia hoje (um santo sábado !!!) trancado numa sala de aula, junto com outras pessoas da equipe GrowBiz, assistindo ao curso intensivo sobre Vendas Consultivas ministrado por Dagoberto Hajjar, fundador da Advance Marketing e hoje meu sócio, graças à fusão que integrou a Cherto Consultoria, a Cherto Educação Corporativa, a própria Advance e a Ricardo Pastore Consultoria de Varejo e da qual resultou a GrowBiz.

Confesso que, de início, fiquei em dúvida em investir 2 dias para fazer um curso. Afinal, tempo, hoje, é o meu recurso mais escasso. E o mais demandado. E tudo o que é escasso e demandado se torna, automaticamente, muito valioso. Traduzindo: considero meu tempo tão valioso que procuro só investi-lo nas coisas que, como diriam os Titãs, podem dar certo. "Não tenho tempo a perder!".

Pois o curso valeu cada minuto que gastei para fazê-lo. É excelente. Mesmo. Não é pelo cara ser meu sócio, não. Vale a pena de verdade. Tanto que minha sócia Filomena, que assistiu ao curso sentada ao meu lado e é a responsável pelo dia-a-dia da Franchise Store já decidiu: vai por toda a equipe da Franchise Store para fazê-lo também.

Por ora, o curso só é oferecido na versão "In Company" (fechado para uma única empresa). Mas estou convencendo meus sócios de que é um pecado não oferecê-lo ao público em geral, formando turmas abertas.

25 de jun de 2009

A imensa importância do canal (ou do mix de canais) de vendas

Encontrei esta informação num artigo do Madia: em pesquisa feita recentemente pela CVA SOLUTIONS com 5.000 segurados que vivem nos municípios de São Paulo e do Rio de Janeiro, 47% dos entrevistados se disseram clientes fiéis a um corretor de seguros, 24% fiéis a uma seguradora e 17% fiéis ao conjunto “um dado corretor + uma determinada seguradora”.

Isso mostra a relevância do canal de vendas. No caso, o corretor. E isso vale para qualquer empresa de qualquer ramo.

Seja qual for seu segmento de atuação, é fundamental que a empresa exerça uma boa gestão de cada um de seus canais. A começar pelo recrutamento e seleção cuidadosos dos integrantes de cada um deles, passando pela capacitação desses integrantes (e de suas equipes) e chegando ao suporte em campo aos mesmos, incluindo apoio à gestão dos respectivos negócios.

Já não basta cuidar do "sell in" (a venda para os canais). É fundamental apoiá-los no "sell out" (a venda do canal para o consumidor ou usuário final) e também dotá-los de ferramentas e instrumentos que lhes permitam gerir melhor seus próprios negócios. Quem fizer isso, conquista uma chance bem maior de sobreviver e prosperar. Quem não fizer, vai dançar. Hoje, no mês que vem ou daqui a dois anos. Mas vai dançar.

Mundando de assunto, eis aqui outro dado interessante que o mesmo levantamento mostrou: a vasta maioria dos segurados só faz uso do seguro propriamente dito. Mesmo cientes de que a seguradora lhes oferece uma série de serviços, a maioria nãos os utiliza.

Dos segurados entrevistados, somente 25% dos segurados já utilizaram alguma vez algum desses serviços. Sendo que, destes, 25% usaram algum “serviço doméstico” (encanador, chaveiro, eletricista), 20% apelaram ao guincho e/ou socorro mecânico, 19% utilizaram serviços de manutenção de luzes de freio e amortecedores, 15% o carro reserva, 11% desconto em estacionamento e somente 10% os dispositivos antifurto (que eu julgava serem obrigatórios para quem contrata um seguro de seu veículo).

Porém, fica claro, pela mesma pesquisa, que esses serviços adicionais são muito importantes na hora do cliente se decidir pela contratação do seguro.

Vá entender a cabeça do consumidor... Gente é mesmo um bicho esquisito.

24 de jun de 2009

Senado Federal - mais um texto corajoso do Clemente

Mais um texto corajoso de meu amigo e guru Clemente Nobrega. Assino embaixo!

O Senado Federal, a falta de higiene e a grande inovação brasileira [texto de Clemente Nobrega]

Li que o Senado Federal tem 10 mil funcionários para 81 senadores (será que li direito, gente?).

Soube também que contrataram a FGV para fazer propostas para a reorganização “da casa”. Hmmmm, estou sentindo aquele cheiro no ar de novo…..

Há situações em gestão (como na vida) em que não é preciso técnica nem conhecimento, basta água e sabão. Se você não toma banho, não corta as unhas, não usa desodorante, não admira que as pessoas fujam de você. É falta de higiene,cara! Este blog tem opinião.

Dez mil funcionários para 81 senadores? O problema do Senado da República é falta de higiene. Água e sabão. Chega de análises! Não precisa consultoria! Vão tomar banho!

A grande inovação brasileira , para mim, seria o desmantelamento da mentalidade soma zero que impera no “tecido” do país. Lembrem-se, há contextos em que não se consegue não ser corrupto, mesmo que não se queira ser corrupto. NÃO DEPENDE SÓ DE SUA OPÇÃO COMO INDIVÍDUO, DEPENDE DO CONTEXTO EM QUE VOCÊ ESTÁ TAMBÉM.

Esta, para mim, é a tragédia brasileira.

Mudar essa mentalidade (que gente culta chama de “patrimonialista”, mas que eu, ignorante das sutilezas sociológicas, chamo de “vagabunda” mesmo) exige um tipo de líder que não existe no Brasil. E não existe porque quem “chega lá” politicamente, tem que se comprometer com o “mau cheiro”. Se não , não fica lá.

Ser popular não tem nada a ver com ser líder.

O tipo de liderança de que precisamos não será popular. Só pode ser exercida por uma geração de líderes que não tenha como prioridade a permanência no poder a qualquer custo. A proposta delas teria de ser o equivalente brasileiro ao “sangue, suor e lágrimas” de Winston Churchill.

Reformar os sistemas jurídico e político do Brasil é mais importante para a inovação brasileira do que políticas de “investimentos em inovação”.

Essas “coisinhas” produziriam mais efeito do que todo o Pré-Sal, do que todos os investimentos em “tecnologia” que possamos fazer, porque atuariam diretamente no coração do problema: nosso enorme deficit da noção de confiança, o que se reflete na ausência de um destino compartilhado, o que leva tanto as elites como as massas a serem soma zero.

A relação de causa e efeito entre confiança e riqueza não é perfeita (pois confiança não é o único fator que determina os níveis de cooperação de um país) mas, cá pra nós, você não acha que já temos pistas suficientes para explicar nossa incompetência em inovar, não?

O Museu da Corrupção

Meu amigo Rico Lindenbojm foi quem me enviou o link para este genial Museu da Corrupção, concebido e executado pelo Diário do Comércio.

Comercial feminista do Ford Fusion

A leitora Helena foi quem me enviou o vídeo abaixo:

O anti-marketing da Lusitana Mudanças

Marketing é tudo aquilo que afeta a imagem que o público-alvo e os formadores de opinião têm de um produto, um serviço, uma empresa, uma marca. Tudo mesmo.

Pois acabo de assistir a um excelente exemplo de anti-marketing: um caminhão da Lusitana, com o logo e a velha e o velho e conhecido slogan ("o Mundo gira e a Lusitana") fechar o cruzamento da Alameda Casa Branca com a Alameda Santos, em São Paulo.

9h e 10m da manhã de uma quarta-feira nublada, com possibilidade de chuva, trânsito caótico, todo mundo atrasado, nervoso, tenso. E o cretino do motorista da Lusitana, mesmo vendo que o trânsito da Alameda Casa Branca (que ele subia, em direção à Av. Paulista) não andava, decidiu que era o dono da rua e avançou o sinal amarelo, fechando o cruzamento e impedindo quem vinha pela Alameda Santos (que, milagrosamente, andava) de avançar.

Com certeza, todos os motoristas e demais pessoas que assistiram à cena (incluindo este que vos escreve) ficaram com péssima impressão da marca. Impressão essa que (consciente, ou inconscientemente) pode afetar sua decisão de compra, da próxima vez que tiverem que contratar uma empresa de mudanças.

Empresário: é fundamental capacitar a conscientizar seus funcionários. Cada um deles acaba sendo visto como um "embaixador" da marca. E qualquer ato seu pode afetar a imagem desta aos olhos do consumidor e/ou dos que ajudam a formar a opinião do consumidor.

23 de jun de 2009

Em que os políticos brasileiros e os banqueiros americanos são parecidos?

Se você assistiu ao vídeo com o Juan Enriquez (ver post anterior), deve ter notado a foto abaixo, que ele mostra dizendo que é isso o que os bancos americanos têm a oferecer aos contribuintes cuja grana está sendo gasta para manter os empregos (e os salários e os fantásticos bônus) dos executivos desses mesmos bancos, que são os principais responsáveis pela crise econômica que o mundo atravessa.

Na foto, que já rodou o mundo, por uma infeliz (ou feliz?) coincidência, estão lado a lado jogadores que têm os nomes Moore (que é lido como “More”, ou MAIS, em Inglês), Goode (que se pronuncia como “Good”, BOM) e Dick (que, em Inglês, quer dizer, assim, PÊNIS, ou melhor, quer dizer PAU mesmo).

Que, cá para nós, é o que os políticos brasileiros estão dispostos a distribuir a torto e a direito a todos nós, contribuintes e eleitores.

21 de jun de 2009

Mais um vídeo imperdível = o genial Juan Enriquez explica a crise econômica...

... e mostra alguns caminhos. Infelizmente, não encontrei este vídeo com legendas em Português, mas publico o que tem legendas em Inglês mesmo, na esperança de que isso ajude você, caro leitor, a entender melhor o que o gringo diz. Afinal, muito do que ele diz a respeito do futuro dos EUA se aplica ao nosso e alguns dos caminhos que ele sugere para os EUA deveriam ser seguidos por nós...

Ele também fala do futuro, de biogenética, bio-engenharia, robótica e outros temas interessantíssimos. E o faz da forma provocativa de sempre.

Para quem não se lembra, Juan Enriquez esteve na ExpoManagement, em São Paulo, em 2007. E fez uma belíssima apresentação para convidados da HSM, do Grupo Cherto e de outros expositores da Expo. Saí dessa tal apresentação impressionadíssimo com o cara e corri para comprar o livro dele, que é genial e já foi publicado em Português.

Chris Jordan transforma estatísticas em fotos (agora, com legendas em Português)

Graças ao leitor Horacio, agora você pode assistir ao vídeo do Chris Jordan com legendas em Português:

Franchise Store procurando gente boa para reforçar a equipe

O stand da Franchise Store na Feira de Franquias que terminou no sábado foi tão visitado por gente que disse que agora vai à loja para conhecer todas as mais de 50 marcas que são comercializadas lá, que a empresa vai precisar reforçar seu time de atendimento.

Para isso, está buscando bons consultores/vendedores, que entendam de vendas consultivas, saibam vender itens de alto valor agregado (como é uma franquia) e tenham suficiente "senso de noção" para saber que, em muitos casos, a melhor coisa a fazer é recomendar ao candidato a franqueado que NÃO COMPRE, por não ter perfil para ser um franqueado (ou, ao menos, para ser um franqueado da marca que o interessa).

Se você conhecer gente assim que esteja procurando trabalho, dê um toque nessa pessoa.

20 de jun de 2009

Tacontento faz sucesso na Feira de Franquias

A taqueria guatemalteca Tacontento vem atraindo muitas atenções no stand da Franchise Store na Feira de Franquias de São Paulo, que termina hoje. Não apenas de investidores e de empresários de outros ramos, interessados em adquirir a master-franquia para o Brasil, mas também de outras empresas de alimentação que já operam em nosso mercado e estão atrás de novos conceitos e novas marcas para adicionar a seus portfolios.

No mundo das franquias, especialmente no setor de alimentação, cada vez mais o futuro será das empresas franqueadoras multi-marcas. Ou seja: aquelas que, a partir de uma estrutura central unificada, gerem diversas redes de marcas e conceitos distintos, porém sinérgicos.

A pessoa errada custa sempre caro. Muito caro.

Por mais baixa que seja a remuneração, ter a pessoa errada fazendo o trabalho custa sempre caro demais.

Ter a pessoa certa para cada função ou tarefa é o segredo do sucesso. De nada adianta você traçar a melhor estratégia do mundo, se quem a executa não faz as coisas como devem ser feitas.

Financiamento em condições muito interessantes, para franqueadores e franqueados

A Franchise Store celebrou ontem, com o Banco do Nordeste, um Convênio que a autoriza a assessorar oficialmente franqueadores e franqueados interessados em obter financiamentos em condições extremamente favoráveis (incluindo taxas de juros bastante baixas) para implantar ou expandir franquias na Região de atuação do Banco, que inclui, além da Região Nordeste, uma boa parte do Centro-Oeste e até parte do Estado de Minas Gerais.

Chris Jordan transforma estatísticas em fotos

Pena estar em Inglês (e sem legendas):

18 de jun de 2009

Texto corajoso do Clemente, em seu blog

Meu amigo, partner e guru Clemente Nobrega escreveu o comentário abaixo, em seu blog:

Edição Extraordinária [texto de Clemente Nobrega]

Leio que estão privatizando presídios em Minas e no Sul. Não sei detalhes, mas sou a favor. Pode apostar: já já, vai aparecer alguém dizendo que “a mercantilização do sistema prisional vai comprometer a qualidade de nossos presos”.

Pelo nível do “pensamento”, a declaração pode vir de um desses intelectuais que apoiam a greve da USP.

Falando nisso, pelo que leio, uma das causas da greve é que os “estudantes” são “contra o ensino à distância“.

Hmmmm, que cheiro será esse que estou sentindo? Parece uma mistura de burrice, vigarice, ignorância, patetice, delinquência, má-fé, primitivismo, preguiça, arrogância, e otras cositas más, normalmente associadas a produtos da digestão de quadrúpedes das várias espécies [leitor,hoje estou particularmente educado, delicado (êpa!), e paciente - por isso, evito linguagem pesada - se não, não sei não…].

Não soube de muitos pensadores, líderes, comentaristas… Ninguém politicamente correto (daqueles sempre a favor da “inclusão” de qualquer coisa, dos pobres, das cotas, do “planeta”, do verde, do ambientalismo, da responsabilidade social corporativa…) que tenha se pronunciado contra esses descerebrados.

Ah, já sei, esses são sempre a favor “dos jovens”. Acham que eles (jovens) são sempre “do bem”, independentemente de quão estúpidos possam ser.

Este blog é contra a estupidez de qualquer idade.

No Senado, o poço tem vários subsolos

Quando a gente pensa que nossos senadores conseguiram, finalmente, atingir o fundo do poço em matéria de falta de "senso de noção", vêm um sarney da vida e prova que estamos errados e que a esses senhores sempre é possível descer ainda um pouco mais.

Até quando vamos tolerar esse tipo de coisa?

E carinha ainda posa de sério, de dono de uma bela biografia, de transparente. De fato, como escreveu o Zé Simão, Sarney, Renan e outros são muito transPARENTES. Não se cansam de arrumar mamatas para irmãos, sobrinhos, filhos, netos e o escambau.

Como se dizia no tempo do Pasquim, "cambuta de fedapada !".

15 de jun de 2009

Nós, que já passamos dos 50...

Mesmo sem conhecer o autor, tomo a liberdade de transcrever o texto abaixo, que me foi enviado por minha mulher, que já passou dos 50 e está cada vez melhor, mais bonita, mais sábia, mais mulher.

O autor, Ricardo Gondim, diz o que eu gostaria de dizer aos que me cercam e me envolvem em coisas, conversas e atividades que eu preferiria evitar. E o faz com muito mais competência do que eu seria capaz.

TEMPO QUE FOGE [texto de Ricardo Gondim]

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.

Tenho muito mais passado do que futuro.

Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói até o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.

Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.

Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para conversas intermináveis, sobre assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.

Já não tenho tempo para administrar melindres, orgulho, e mentiras de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturas.

Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.

Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou: 'As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos'.

Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, sabe que é melhor acertar, mas se errar, admite e tenta consertar.

Não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade.

Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade. Pessoas que amam e respeitam seus semelhantes.

O essencial faz a vida valer a pena. E, para mim, basta o essencial!

Marília Pera - também 100% perdível

Sábado à noite, fomos assistir à peça A Gloriosa, com a espetacular Marília Pera.

Pois nem o talento de Marília Pera salva a peça. Texto fraco, trama sem interesse, direção apelativa. Tudo errado. Quero minha grana de volta !!!

13 de jun de 2009

O show de Caetano Veloso - totalmente perdível

Ontem, Dia dos Namorados, minha mulher e eu fomos assistir ao show do Caetano. Com o devido respeito, para trocar o espetáculo por bosta, só mesmo levando a lata.

Antes, preciso esclarecer que gosto do Caetano. Sua voz sempre foi (e continua sendo) uma das melhores, entre os cantores nacionais. E, sem dúvida, dos compositores de que gosto, é o que melhor interpreta suas próprias obras.

Algumas de suas músicas têm lugar garantido na minha lista das Melhores de Todos os Tempos. Saudosismo, Trilhos Urbanos, Terra, Lua de São Jorge e tantas outras são coisas de gênio. Sampa contém um dos versos mais bem sacados que eu já li ou ouvi ("é que Narciso acha feio o que não é espelho"). Apesar de eu ter o maior bode de quem chama São Paulo de Sampa. A canção é tão bonita que até relevo isso.

Mas este show está uma merda. Aliás, posso estar sendo injusto, mas não consigo me lembrar de nada realmente bom que Caetano tenha feito nos últimos 8 ou 10 anos. Diga-se de passagem que as únicas canções "ouvíveis", em todo o repertório do show, são um tango antigo e Irene e Não-Identificado (ambas com uns 40 anos de existência).

A banda não convence, a despeito da competência do bateirista. Sonoridade de bandinha roqueira de garagem dos anos 1970. O repertório fede: melodias nada inspiradas recheadas por letras pueris, dignas de festival de escola secundária. O cenário é, ao mesmo tempo, fraco e pretensioso. É preciso reconhecer que a iluminação é boa.

Os trejeitos de Caetano sempre me irritaram. Mas eram aceitáveis, num cara mais novo. Num sessentão, deixam-no com pinta de bicha velha. E bicha velha é uma coisa triste, é ou não é? Adicione-se que, nesse quesito, a semelhança física com Clodovil não joga a favor do cantor-compositor.

Em suma, se quiser minha opinião, não vale a pena gastar nem tempo nem grana com isso. Tem coisa muito melhor para se fazer em São Paulo.

11 de jun de 2009

Embora a Veja não tenha deixado isso claro...

Embora a edição da revista Veja que está nas bancas tenha ocultado o fato, a verdade é que o principal personagem da matéria que trata de ex-executivos que partiram para um negócio próprio, João Boer, ex-Diretor de Vendas da Oracle, é cliente da Franchise Store, onde adquiriu uma franquia da Grilleto, tornando-se o primeiro franqueado da marca na cidade de São Paulo.

Aliás, tome nota: você ainda vai ouvir falar muito da franquia Grilleto.

Como expandir uma empresa para outros países

Nos vídeos abaixo, um condensado do Painel sobre Como Gerir a Expansão Internacional de um Negócio (Managing Growth) do qual participei no Endeavor Entrepreneurs Summit que aconteceu em Miami, USA, no início de maio.

O Painel foi moderado por Brian Swette, um dos integrantes do Board de Diretores da Endeavor Global (New York), ex-COO do eBay, ex-Chairman da Burger King e ex-Chief Marketing Officer da Pepsi.

Os painelistas fomos o competente e sereno Matt Bannick, atualmente Managing Partner da Omidyar Network, ex-CEO da eBay International, ex-CEO da PayPal e também membro do Board de Diretores da Endeavor Global, o expansivo e divertido Fadi Ghandour, fundador e CEO da Aramex International (primeira empresa árabe a ter suas ações negociadas na Nasdaq) e membro do Board de Diretores da Endeavor Jordânia e este que vos escreve, na minha qualidade de CEO da GrowBiz (empresa cujo nome tem tudo a ver com o tema do Painel).

Parte 1 do Painel Managing Growth:

Parte 2 do Painel Managing Growth:

Parte 3 do Painel Managing Growth:

Como exportar franquias

A Growbiz - grow your business, consultoria especializada em Ocupação de Mercado resultado da fusão das empresas Cherto, Advance e Ricardo Pastore realizará, em parceria com a ABF - Associação Brasileira de Franchising e com a consultoria de franchinsing mexicana Feher & Feher, o workshop "Como exportar suas franquias". A apresentação é gratuita e será realizada no dia 17 de junho, das 15h às 16h30, durante a ABF Franching Expo 2009 (Expo Center Norte, pavilhão vermelho).

O encontro é voltado para franqueadores brasileiros interessados em exportar suas franquias para outros países. Os palestrantes darão dicas de como aumentar as chances de sucesso no exterior e de que forma ingressar no mercado mexicano, atualmente considerado uma "vitrine" para a conquista de novos mercados. E também falarão sobre o que a ABF e Governo Brasileiro fazem pelas empresas que têm interesse em exportar franquias.

Os palestrantes serão Marcelo Cherto (CEO da Growbiz), Fernando Campora (Chief Consulting Officer da GrowBiz), Ferenz Feher (Presidente da Feher & Feher), Carlos Roberts (Presidente da Associação Mexicana de Franquias), Alexandre Sá Pereira (Diretor de Relações Internacionais da ABF) e Maurício Borges (da APEX).

O Workshop terá tradução simultânea. As vagas são bastante limitadas. Os interessados podem se inscrever gratuitamente através do (11) 3020-8822 ou pelo email michelle@abf.com.br.

9 de jun de 2009

Mais Chris Hughes

A talentosa designer de jóias (e Empreendedora Endeavor) Francesca Romana Diana foi quem tirou - e gentilmente me enviou - esta foto minha conversando com Chris Hughes (Facebook + Campanha do Obama) no Endeavor Entrepreneurs Summit, em Miami, no qual ele e eu fizemos apresentações:

8 de jun de 2009

Taxista bom de marketing

Saindo atrasado para uma reunião hoje cedo, parei o primeiro táxi que encontrei na rua. E dei de cara com um motorista que é dos bons marketeiros que já conheci.

Seu carro é uma Zafira. Impecavelmente limpa, com música agradável, em volume agradável. Mal entrei (trajando paletó e gravata), o motorista, com indisfaçável sotaque baiano e um sorriso simpático, comentou a principal manchete de econômica: a Bovespa voltou ao nível pré-crise. E logo emendou: "Para mim, a crise ainda não mostrou a cara, doutor".

Eu respondi que não é bem o que tenho ouvido da maioria dos seus colegas. E ele: "Crise existe para quem não sabe trabalhar, não sabe se diferenciar".

E continuou: "No Município de São Paulo, são mais de 32.000 táxis oficiais. E uns 7.000 piratas. Dá praticamente 40.000 táxis. É muita concorrência. Mas eu trabalho com uma clientela fiel, doutor. Tenho cadastrados mais de 500 clientes, que confiam em mim e me chamam com frequência para fazer serviços de transporte para eles, seus parentes e suas empresas. Se um fica muito tempo sem me chamar, ligo para saber se está tudo bem e se não precisa de nada."

E prosseguiu: "Eles são fiéis a mim e eu a eles, doutor. Ontem mesmo, dispensei uma boa corrida, de uns R$ 80,00 ou R$ 90,00, para um rapaz desconhecido que chegou no meu ponto, para não deixar de fazer uma corridinha de R$ 6,00 para uma cliente minha de muito tempo. Tem colega meu que diz que isso é bobagem, trocar R$ 90,00 por R$ 6,00. Mas eu sei que essa senhora e seus filhos e netos me renderam mais de R$ 1.000,00 só no mês passado. E alguns milhares de reais nos últimos anos. Como posso deixar de levar isso em consideração? Como alguém pode fazer sucesso pensando apenas no curto prazo?"

"Eu invisto, pensando no bem estar dos meus clientes, doutor", seguiu ele. "É por eles, e não por vaidade, que tenho esta Zafira nova e que lavo ela todos os dias. É por eles que cuido da manutenção do meu carro como se minha vida dependesse disso. Quero proporcionar a meus clientes o máximo de conforto. Procuro sempre me colocar no lugar deles. Faço pesquisas de opinião, para entender as necessidades e as vontades deles. Quero que eles se sintam seguros, sabendo que estão em boas mãos, que o carro não vai quebrar, que vou sempre fazer o trajeto mais curto, mais barato, mais seguro e mais rápido."

E arrematou: "Cliente não é apenas um pacote, que a gente leva para cima e para baixo. Cliente não quer ser apenas transportado, quer uma experiência positiva. Por outro lado, também não faz questão de água gelada, cafezinho e computador no táxi. Tem taxista que oferece isso, mas só porque acha que é diferente. A pergunta é: faz mesmo diferença para o cliente? O cliente valoriza isso? De acordo com as minhas pesquisas, o cliente quer é chegar aonde vai no tempo mais curto possível e com o máximo de conforto e segurança possíveis, levado por um motorista limpo, amigável, positivo, que não fica se queixando da vida, não compra briga no trânsito e conhece os melhores caminhos, num carro limpo e bem mantido. Quer também um motorista que cumpre o que promete, o que deveria ser o padrão, mas hoje em dia é diferencial."

Pois é... O cara sabe tudo de Marketing, embora não tenha passado do estágio mais baixo da educação formal. E você já sacou seu grande segredo: ele se coloca no lugar do cliente e, assim, trata a clientela como gostaria de ser tratado. Simples assim.

Dá resultado? Ele me disse que é o filho mais velho de uma família numerosa. E que chegou a São Paulo há alguns anos, com uma mão na frente e a outra atrás. Teve uma porção de sub-empregos, depois foi estoquista de um super-mercado e entrou no mundo dos táxis alugando um carro de frota. Mas que, independentemente da profissão, sempre fez o que podia para ser o melhor naquilo que faz. Hoje, tira aí seus R$ 4.500,00 a R$ 5.000,00 por mês e tem muitos planos para o futuro, sendo que o primeiro deles é comprar um apartamentinho, para parar de pagar aluguel.

Quando desci do carro, ele me disse: "Que o senhor feche um grande negócio nessa reunião que vai ter agora, doutor. Mas, se não der, não desanime, pois outras reuniões virão e tudo vai dar certo para o senhor."

É claro que peguei o telefone dele e pretendo, daqui para a frente, ser mais um dos seus mais de 500 clientes cadastrados.

7 de jun de 2009

Um dos melhores filmes a que já assisti

Feito com um orçamento simplesmente ridículo, a partir de uma idéia que não podia ser mais simples (alugar, durante um ou dois meses, uma quitinete no famoso Edifício Master, que já foi um treme-treme dos mais conhecidos de Copacabana, e, nesse período, ir entrevistando os moradores, deixando-os falar sobre as próprias vidas, aparentemente sem interesse, mas, na verdade, cheias de histórias, sonhos, idéias, desilusões), o documentário Edifício Master, do brilhante cineasta Eduardo Coutinho, está na minha lista dos 5 melhores filmes a que já assisti.

A entrevista com o morador Henrique, a que você pode assistir clicando sobre a imagem abaixo, é apenas uma entre tantas. E se torna, na minha humilde opinião, absolutamente imperdível a partir dos 3 minutos e 20 segundos, quando ele começa a falar de quando conheceu o Frank Sinatra e cantou com ele num show nos EUA. Quando esse homem sofrido, que começa a entrevista seco, desconfiado, canta My Way e se emociona e se entrega, é comovente. Confira:

Vale a pena, um dia em que você for à vídeo-locadora, pegar o DVD e assistir ao filme inteiro. Não tem perseguições de carros, nem mulheres gostosas, nem trilha sonora bacana. Mas tem o que falta à maioria dos filmes: alma.

Reseller Webinar - "Somos todos vendedores" (com Marcelo Cherto)

Clique aqui para assistir gratuitamente ao Webinar "Somos todos vendedores", que ministrei na sede da IT Midia, que publica a revista Reseller Web.

O pessoal da IT Midia gravou a minha fala e os slides Powerpoint que usei na ocasião e agora os disponibiliza através da excelente ferramenta de ensino à distância Reseller Webinar, em seu novíssimo portal de palestras e seminários. Vale conferir.

Aliás, eu tive a honra de ser convidado a inaugurar esse portal de palestras via Web que a IT Midia inaugurou.

6 de jun de 2009

Franchise Store na Feira de Franquias

Acontece no Pavilhão Vermelho do Expo Center Norte, em São Paulo, nos dias 17 a 20 deste mês, a ABF Franchising Expo, a maior Feira de Franquias do Hemisfério Sul. Se você se interessa por negócios, empreendedorismo, franquias e coisas assim, vale a pena ir lá.

Evidentemente, a Franchise Store, a loja do Grupo Cherto que comercializa franquias de mais de 50 marcas diferentes, estará lá. Aliás, com um dos maiores (se não O MAIOR) dentre os stands da Feira: 200 m2 !!!

Em função do regulamento do evento, é limitado o número de marcas que a Franchise Store poderá expor no seu espaço. Portanto, foram selecionadas apenas as seguintes franquias, dentre as mais de 50 que compõem o portfólio da loja: Invel (produtos para o bem-estar), Uniorto (clínicas de Ortodontia), Onodera (maior rede de clínicas de estética do Brasil), l’Occitane (marca francesa de cosméticos e produtos para bem-estar e higiene pessoal), Pelé Club (academias de ginástica), Griletto (fast-food de massas e grelhados), Tacontento (a verdadeira comida mexicana), Pastelândia (fast-food de pastéis), Jardim Espresso (cafeteria com a grife Café Jardim), Lego Líder (formação de crianças e jovens em Liderança e Empreendedorismo com a utilização de kits de robótica da Lego e metodologia Lego Education), Mr. Cat (calçados e acessórios), City Shoes (calçados femininos), Elementais (moda jovem feminina) e Sagace Casa (consultoria de crédito imbobiliário).

Para facilitar a visita à Feira, clique aqui, preencha o formulário e apresente-o juntamente com seu convite na bilheteria do local do evento, a partir do dia 17.

Confira, na imagem abaixo, como será o stand da Franchise Store na ABF Franchising Expo:

Humor de outros tempos. Mas o truque é ótimo.

É pastelão total. Mas o truque com os ovos é genial. Dom DeLuise e Johnny Carson, que, neste filme, está mais parecido do que nunca com meu amigo (e companheiro de Global Advisory Board da Endeavor) Pat Morin.

Contribuição da Marilia Fanucchi Ferraz.

Entrevista com Chris Hughes, fundador do Facebook e coordenador da campanha de Obama

A edição de junho da revista Pequenas Empresas Grandes Negócios, que acaba de chegar às bancas, traz a entrevista que fiz em Miami com Chris Hughes, fundador do Facebook e considerado um dos principais responsáveis pela eleição de Barack Obama à presidência dos EUA, quando nós dois fomos palestrantes no Entrepreneurs Summit, evento organizado pela Endeavor Global (Nova York), que juntou no Hotel Fontainebleau, empreendedores, investidores e pensadores de pelo menos 12 ou 13 países.

Por enquanto, para ler essa entrevista, você terá que comprar (ou conseguir emprestada) a revista. O texto somente estará disponível na Internet a partir do mês que vem.

3 de jun de 2009

Outra versão (mais curta) do vídeo da Franchise Store

A nossa loja que vende franquias de mais de 50 marcas diferentes, que fica na Av. 9 de Julho, 4.400, em São Paulo, mostrada pela Globonews:

Luta contra a AIDS na África - ou o tempo não pára

Assista ao filme abaixo e confira que genial essa instalação, que usa 321 relógios sincronizados, cujos ponteiros, duas vezes por dia (a cada 12 horas), se alinham para formar uma mensagem que diz, em Francês, algo como: "a cada 12 horas,na África, 2000 pessoas morrem de AIDS, por não terem acesso a tratamento médico". Ao pé da instalação, uma frase: "cada minuto conta".

2 de jun de 2009

Alguém me explica como eles fazem isto?

Desde que assisti a este vídeo que meu amigo Lacaz me enviou, fiquei encucado: como é que eles fazem o truque? Se você descobrir, me conte, por favor.

O ingrediente mais importante para ter sucesso?

O colombiano Joachim de Posadas fala de uma experiência real, conduzida pela Universidade de Stanford (EUA) e depois replicada na Colômbia, com crianças de 4 a 6 anos de idade, que mostra que o ingrediente mais importante para o sucesso é... a habilidade de aceitar que a gratificação não seja instantânea, mas venha depois.

Assista, confira, avalie, julgue:

Viajando sem parar

Meu sócio Fernando Campora está na Guatemala, em função de um projeto que estamos desenvolvendo para uma empresa de lá. Estamos cada vez mais Latino-Americanos...