29 de abr de 2009

A farra das passagens aéreas para congressistas

Vale a pena assistir ao destempero do jornalista Luiz Carlos Prates, clicando na imagem abaixo. Foi o leitor Mateus Rabello que me enviou o vídeo.

Alguém me explica?

Viajo depois de amanhã para os EUA e não consigo evitar uma ponta de preocupação, em função de todo o noticiário a respeito da tal gripe suína (que, soube hoje, de suína não tem nada). Confesso: estou preocupado, sim.

Acabo de falar com meu associado no México. 100% dos restaurantes do Distrito Federal estão fechados e as ruas estão desertas. Segundo ele, parece filme do Velho Oeste, momentos antes do duelo entre o mocinho e o bandido com cara de mau. Os vôos para lá decolam vazios. Hoje mesmo conversei com 3 pessoas que, por conta do medo de contaminação, cancelaram viagens que fariam... aos Estados Unidos (e para Nova York, onde, até onde sei, até agora não há casos confirmados de pessoas contaminadas).

Os levantamentos oficiais indicam que, até o momento, morreram cerca de 130 pessoas no México. É bastante gente, sem dúvida. Mas...

No Brasil, morrem todos os anos quase 40.000 pessoas em consequência de acidentes de trânsito. E não me consta que alguém deixe de sair de casa por causa disso. Inclusive essas 3 pessoas que citei acima.

Não tenho como saber quem está certo e quem está errado. Pode ser, de fato, que a situação no México (e no mundo todo) se mostre até mais grave do que parece ser neste momento.

Só queria que alguém me explicasse o motivo de tanto pânico numa situação e nenhum pânico ou precaução na outra - que é, de fato, muito mais grave.

O fim de um ícone

Me lembro, como se tivesse ocorrido ontem, da primeira vez que entrei na Mega Loja da Virgin Records no Times Square, em Nova York. Era a primeira loja de CDs daquele tamanho que eu via, enorme, descomunal, com uma variedade impressionante de CDs de todos os gêneros musicais. Fiquei embasbacado. Devo ter gasto mais de uma hora fuçando as prateleiras. Se a memória não me trai, corria o ano de 1994.

Amanhã, dia 30 de abril de 2009, aquela loja imensa fecha suas portas para sempre. No seu lugar, será inaugurada mais um ponto de venda de roupas da marca Forever 21, que parece ser uma das novas sensações do mundo da moda jovem nos EUA.

25 de abr de 2009

Existe uma hora certa para você ser feliz?

Texto original do meu artigo publicado na edição de ontem (24/04/2009) da Gazeta Mercantil:

Existe hora certa para ser feliz? [artigo de Marcelo Cherto]

Quando conheci Mara Gabrilli, fiquei impressionado com essa mulher bonita, inteligente, simpática... e tetraplégica há 15 anos - conseqüência de um acidente de carro que rompeu sua coluna vertebral. Embora não mova um único músculo do pescoço para baixo, faz palestras, administra uma ONG que apóia atletas portadores de deficiências físicas e é um dos membros mais atuantes da Câmara Municipal de São Paulo, para a qual foi reeleita em 2008 com a maior votação recebida por uma vereadora em todo o Brasil.

Estou seguro de que sua história dá um livro. Tanto que convenci meu amigo e editor Luis Colombini a lançar essa obra. Para apresentar os dois, agendamos um almoço num restaurante do Centro de São Paulo. Embora fascinado pelo charme, a garra e a alegria contagiante de Mara, Luis estava ali a trabalho e precisava conhecer a vida e a forma de pensar daquela mulher. E lá pelas tantas sapecou, na lata: “Mara, você acredita que algum dia voltará a andar?”. E ela, com a maior tranqüilidade: “Mas é claro que vou. Só que não vou esperar que isso aconteça para ser feliz”. Que aula de vida, não?

Conheço gente com pique empreendedor que acha que só vai ser feliz quando puder criar uma empresa. E segue infeliz, porque “a hora certa” de largar o emprego e fundar um negócio próprio nunca chega.

Em primeiro lugar, quem disse que para ser empreendedor alguém precisa criar a própria empresa? Um executivo pode empreender na empresa onde trabalha. Empreender é criar riqueza nova a partir do rearranjo do que já existe. É fazer as coisas de uma maneira diferente - e melhor - do que aquela como sempre foram feitas. Às vezes, para isso, pode ser necessário fundar uma empresa nova, tudo bem. Mas nem sempre.

No entanto, a maioria daqueles com espírito empreendedor insiste em aguardar “o momento certo” de virar “donos do próprio nariz”. E, como esse momento parece nunca chegar, se resignam com a possibilidade de seguir infelizes pela vida afora. A menos que, por um golpe do destino, venham a perder seus empregos.

Pois é. A maior parte dos que externam seu lado empreendedor só o faz depois de passar por uma desgraça, como uma dispensa ou uma trombada de frente com o chefe. Aliás, com o tempo, muitos ex-empregados descobrem que ter sido despedidos ou forçados a pedir demissão foi a melhor coisa que lhes aconteceu... mesmo que nos primeiros tempos não sentissem isso.

Portanto, se você perdeu o emprego, ou sente que está prestes a perder, anime-se, Isso não é necessariamente ruim. Pode ser o empurrão de que precisava para revelar sua porção empreendedora. Se, por outro lado, você tem espírito empreendedor e não está com seu emprego ameaçado, mãos à obra: encontre formas melhores de fazer o que faz. Realize sua vocação: empreenda na função onde está. Não fique esperando que aconteça sei lá o que para ser feliz.

Ser feliz tem menos a ver com o que acontece a você do que com o que você faz com o que lhe acontece.

****************************************************************

Marcelo Cherto é diretor da GrowBiz – grow your business (www.growbiz.com.br), consultoria de expansão de negócios e ocupação de mercado resultante da integração de Cherto (consultoria especializada em franquias e outros canais), Advance (consultoria especializada em canais) e Ricardo Pastore (consultoria de varejo). É membro do Conselho Consultivo Global da Endeavor e da Academia Brasileira de Marketing.

24 de abr de 2009

Dragaram o fundo do poço !!!

Quando a gente acha que já chegou ao fundo do poço, em matéria de baixarias protagonizadas por integrantes do Poder Público, vem alguma "autoridade" e prova que ainda dá para ir um pouco mais baixo.

Esse bate-boca público entre dois ministros do Supremo Tribunal Federal é o fim da picada. Me faz lembrar uma frase que minha falecida mãe, grande gozadora, costumava dizer para quem iria a alguma festa onde se esperava que fosse beber: "meu filho (ou minha filha, conforme o caso), tenha juízo. Se não der mesmo para ter juízo, tenha ao menos vergonha".

É o que eu gostaria de dizer a esses ilustres membros da nossa mais alta corte.

Só não outorgo a eles, logo de cara, o troféu "Falta de Senso de Noção" porque a frase de Lula, comparando o bate-boca entre os dois a uma briga entre jogadores de futebol, o coloca como sério candidato a esse prêmio.

22 de abr de 2009

Nice De Cara inaugura novo espaço

A arquiteta Nice De Cara, autora do projeto da Franchise Store, inaugura hoje seu novo espaço, numa casa dos anos 1930 da Rua Estados Unidos, onde vai combinar seu escritório de arquitetura e a Cara de Casa, sua confecção de charmosas cortinas, colchas e almofadas personalizadíssimas.

21 de abr de 2009

Evento imperdível: o Entrepreneurs Summit da Endeavor Global, em Miami

De 5 a 8 de maio, acontece em Miami o evento mais esperado, dentre os que são promovidos pela Endeavor Global (New York): o Entrepreneurs Summit, que ocorre uma vez a cada dois anos.

Este ano, Beto Sicupira, Chairman da Ambev, membro do Board da InBev e Chairman da Endeavor Brasil, será um dos principais palestrantes.

os participantes também assistirão a palestras de Edgar Bronfman, Jr. (Chairman e CEO da Warner Music), Reid Hoffman (Chairman e CEO da LinkedIn), Robert Rubin (ex-Secretário do Tesouro dos EUA), Chris DeWolfe (fundador e CEO do MySpace), Dan Heath (autor do genial livro Made to Stick) e outros feras.

Tenho a honra de ser um dos Painelistas no Painel sobre Como Gerir a Expansão de Negócios que será coordenado pelo brilhante Brian Swette, um dos integrantes do Board de Diretores da Endeavor Global (New York), ex-COO do eBay, ex-Chairman da Burger King e ex-CMO da Pepsi.

Os demais participantes desse Painel serão: Matt Bannick, Managing Partner do Omidyar Network, ex-Presidente do eBay, ex-CEO da PayPal e também membro do Board de Diretores da Endeavor Global, Fadi Ghandour, fundador e CEO da Aramex International e membro do Board de Diretores da Endeavor Jordânia e Diego Piacentini, Vice-Presidente Sênior de Varejo e Marketing da Amazon e ex-Vice-Presidente da Apple Europa.

Como você pode ver, o único "pangaré" a subir naquele palco será este que vos escreve.

19 de abr de 2009

Quer saber como se faz um bebê?

É só clicar sobre esta imagem:

Nunca julgue um livro pela capa

Dizem que mais de 20 Milhões de pessoas já acessaram o site do You Tube para assistir ao vídeo com a apresentação de Susan Boyle no programa Britain's Got Talent.

Caso ainda não tenha visto, basta clicar aqui para descobrir porque essa escocesa simplória, desempregada, feia, gorducha, desajeitada, que tem apenas 47 anos mas parece ter mais de 60, se tornou uma celebridade instantânea em muitos países. Garanto que vale a pena assistir.

18 de abr de 2009

Tudo de volta ao eixo + reflexão sobre o que é Branding

O meu muito obrigado aos muitos leitores deste blog que se manifestaram (por e-mail e via comentários no próprio blog) em função do post sobre minha estadia no hospital Albert Einstein, em São Paulo, acompanhando meu filho acidentado.

A cirurgia foi um sucesso, o Dr. Eduardo Pereira e sua equipe conseguiram "reconstruir" o cotovelo (ossos, tendões, ligamentos, nervo e tudo mais que tinha sido rompido ou tirado do lugar parece ter devidamente reconduzido à forma original) e, depois de mais de 24 horas de dores lancinantes, que nem shots de morfina a cada 3 horas conseguiam debelar, o mancebo melhorou rapidamente, teve alta na quinta-feira à tarde e está bem, embora imobilizado e com a perspectiva de um bom tempo "de molho" e com um pouco de dor (mas nada comparado ao que sofreu logo após a cirurgia).

Como estudioso do Marketing, não posso deixar de comentar que recebi, naquele hospital, uma verdadeira aula de Branding. Observando o cuidado, a simpatia, o profissionalismo de todas as pessoas com quem interagimos, do rapaz da Recepção aos responsáveis pela faxina do quarto, passando por atendentes, enfermeiros (o João Carlos foi nota mil!) e todos os demais integrantes da equipe, não pude deixar de refletir sobre o que é Branding.

Branding não é fazer publicidade, não é ter um logotipo bonito, nem é cuidar bem do visual. É fazer muito bem feito, consistentemente, uma vez depois da outra e da outra e da outra, aquilo que a organização se propõe a fazer. Exatamente como faz o Einstein.

15 de abr de 2009

Superação

Veja só o vídeo que o Gândara me enviou:

Programa sobre Franchise Store - link direto do You Tube

Clique aqui para acessar o programa sobre a loja que vende franquias:

Link para o programa da Globonews sobre a Franchise Store

Se você perdeu (ou quer rever) o programa Mundo SA da Globonews sobre a Franchise Store, basta clicar aqui.

O programa é dividido em 2 blocos de pouco mais de 10 minutos cada. O primeiro é sobre a U-Haul (e vale a pena ser visto também). O segundo é sobre a nossa loja de franquias.

14 de abr de 2009

Franchise Store no programa Mundo SA, da Globonews

Metade do programa Mundo SA que foi ao ar ontem às 23h, na Globonews (canal 40 da Net) foi dedicado a mostrar como funciona a Franchise Store e como muitos ex-executivos estão descobrindo na aquisição de uma franquia uma alternativa à carreira corporativa.

Modéstia às favas, o programa ficou muito bacana.

Se você perdeu, anote aí: a Globonews deve repetí-lo esta semana na hoje às 12:30h e às 18:30h, amanhã (quarta) às 04:05 h (só para quem sofre de insônia) e no sábado às 10:30h.

Reflexões do hospital

Estou no Einstein. Meu filho de 19 anos acaba de dar entrada no Centro Cirúrgico para uma operação no braço que deve levar umas 4 ou 5 horas. Sofreu um acidente de skate super bobo, mas caiu tão de mau jeito que conseguiu não apenas quebrar o osso num lugar bem complicadinho, como também rompeu todos os ligamentos e tudo mais que tinha para romper.

O hospital está lotado e, enquanto não liberam um apartamento, estou no café do térreo. O médico é considerado um dos maiores cobras nesse tipo de cirurgia. O hospital é dos melhores. Meu filho não vai sair do Centro Cirúrgico antes das 5 da tarde. Não há nada que eu possa fazer por ele, a não ser rezar. Minha agenda está uma loucura e só vai piorar agora que cancelei todos os compromissos que tinha marcados para hoje. Por que diabos não vou fazer algo mais útil? Por que fico aqui neste café?

Porque é o lugar mais próximo da minha cria onde me deixam ficar. E quero ficar o mais perto dele que eu puder.

Esse instinto de proteger a prole é puramente animal, coisa de bicho, não tem explicação. Aliás, tem, mas não adianta explicar: quem nunca foi pai não vai entender e quem já foi não precisa que eu explique.

Outra coisa: a gente só aprende a ser filho depois que vira pai.

Comercial divertido da Vodafone

Meu amigo Lau Ranieri foi quem me enviou.

12 de abr de 2009

Franchise Store agora está no Twitter

Para seguir a Franchise Store no Twitter é só clicar aqui.

Franquia como alternativa de carreira - na Globonews, nesta segunda-feira, às 23h

O programa Mundo S/A da Globonews que vai ao ar nesta segunda-feira, dia 13 de abril, às 23h, vai mostrar como muitos executivos que perderam o emprego (ou se demitiram por não suportarem mais a vida corporativa) estão encontrando na aquisição de uma franquia uma alternativa de carreira.

De quebra, vai mostrar como é e como funciona a Franchise Store (www.franchisestore.com.br), a inovadora loja do Grupo Cherto que comercializa franquias de cerca de 50 marcas e ramos diferentes.

11 de abr de 2009

Telemarketing - um canal de vendas que vem perdendo espaço

Muitas vezes, a diferença entre o remédio que cura e o veneno que mata é apenas e tão somente a dose que se ministra ao paciente. Se você fizer em demasia algo que originalmente é bom, pode obter um resultado altamente negativo.

Pois foi o que acabou acontecendo com o Telemarketing. A falta de "senso de noção" e os abusos cometidos pelas empresas que se utilizam desse canal de vendas foram tais e tantos que não podia dar em outra: acabaram criando uma lei para disciplinar a questão e um mecanismo pelo qual qualquer cidadão pode impedir que empresas liguem para sua casa nos horários mais impróprios para oferecer bens e produtos que evidentemente não são do interesse de quem recebe a chamada.

E centenas de milhares de cidadãos já inscreveram seus números de telefone na lista de bloqueio do Procon. Inclusive este que vos escreve, absolutamente exausto e irritado com telefonemas às 8h da manhã de um domingo para oferecer um cartão de crédito que já tenho ou outras idiotices do gênero.

Aliás, se você também quiser bloquear seus números, basta clicar aqui.

7 de abr de 2009

Onde eu compro uma camiseta dessas?

Certamente, é a camiseta do ano:

Quem me enviou a imagem foi o Gândara.

Tudo que é sólido pode derreter

A série Tudo que é sólido pode derreter, com roteiro e direção do Rafael Gomes, que eu vi nascer e que hoje é um cineasta fera (autor, dentre outras pérolas, do famoso vídeo Tapa na Pantera), estréia nesta sexta-feira às 19:30h, na TV Cultura.

6 de abr de 2009

Grupo Coteminas e MMartan se associam

Agora não é mais segredo: o Grupo Coteminas, controlado pelo vice-presidente da República José Alencar, através de sua empresa Springs, adquiriu uma participação acionária na MMartan, fabricante, varejista e franqueadora do ramo de roupa de cama, mesa e banho que é cliente do Grupo Cherto.

A Cherto Consultoria trabalhou com a diretoria da MMartan na estruturação de sua operação de Franchising. E as franquias da marca estão entre as comercializadas na Franchise Store.

A Springs e a MMartan continuarão administradas de meneira independente, cada uma com sua linha de produtos e sua estratégia de ocupação de mercado.

Série de virais da Samsung

Como promover um celular usando animais que as mocinhas classificariam de fofos:

3 de abr de 2009

Nunca é tarde para mudar (de vida, de idéia ou de carreira)

Aí vai o texto original do meu artigo publicado na Gazeta Mercantil de hoje:

Nunca é tarde para mudar

Imagino que aconteça também com outras pessoas com alguma exposição em eventos e na mídia: volta e meia recebo e-mails de pessoas que não conheço, pedindo conselhos e opiniões sobre aspectos cruciais de sua vida profissional, pessoal e até familiar. Algumas se desapontam - e até se irritam - quando digo que não tenho condição de ajudá-las. E muito menos de decidir por elas.

Por isso, fico feliz quando se trata de um problema que posso ajudar a sanar. Como foi o caso de uma moça de 30 anos que me escreveu alguns dias atrás dizendo que, depois de haver se graduado e trabalhado durante quase uma década em outra profissão, acaba de se dar conta de que gostaria mesmo é de trabalhar com Marketing. E qual o problema? Ela se considera velha demais para fazer um novo curso e iniciar uma nova carreira. Velha aos 30 anos? Só tinha um jeito: contei a ela a história de Christopher Peter Bueno Netto.

É pouco provável que você já tenha ouvido dele. Mas, como leitor da Gazeta Mercantil, deve saber quem é Fabio Bueno Netto, o empreendedor que teve a idéia de usar vending-machines para comercializar livros em estações de metrô. Pois Christopher é pai do Fabio.

Nasceu na minúscula Ilha de Santa Helena, no meio do Oceano Atlântico. A mesma onde Napoleão foi exilado. Seu pai, natural do interior de São Paulo, foi dar com os costados naquele fim de mundo porque, aos 18 anos, leu um anúncio de jornal procurando um taxidermista (empalhador de animais) e exímio atirador para integrar a expedição do Blossom, navio inglês de pesquisa em viagem exploratória pelo mundo afora. E ele, que era capaz de derrubar uma mexerica a mais de 20 metros cortando seu talo com um tiro certeiro de estilingue ou espingarda, fez um cursinho rápido de taxidermia no Museu Nacional do Rio de Janeiro, conquistou a vaga e lá se foi.

Em Santa Helena, conheceu aquela com quem viria a se casar. E que viria a ser a mãe de Christopher... e de mais oito filhos. Fosse na ilha, ou no Brasil, para onde a família se mudou anos depois, a molecada dava duro para ajudar no sustento da casa. E nosso herói, que sempre teve uma vontade louca de estudar, precisou esperar para fazer os cursos com que sonhava.

Na verdade, Christopher esperou um bocado: comemorou seu aniversário de 40 anos estudando para o vestibular da PUC de Campinas, onde cursou Economia. Já perto dos 60, fez outro curso e se tornou Mediador voluntário numa Câmara de Arbitragem em Curitiba. Aos 65, foi fazer pós-graduação em Produção Industrial na Universidade Federal do Paraná.

Hoje, a poucas semanas de completar 76 anos, é um dos membros mais ativos do Conselho de Segurança de Maringá. E, no início deste mês, ligou radiante para o filho Fabio, contando como havia sido seu primeiro dia como aluno do primeiro ano da Faculdade de Direito.

Christopher Peter é a prova viva de que nunca é tarde para se aprender algo novo. Nem para mudar de vida, de idéia ou de carreira.

1 de abr de 2009

Uma noite com o Conselho de Jovens Empreendedores da FIESP

Ontem à noite, tive a honra e o imenso prazer de fazer uma palestra / bate-papo para mais de 100 integrantes do CJE - Conselho de Jovens Empreendedores da FIESP.

Não sei se foi bom para eles ("foi bom para você, amor?"), mas eu achei uma delícia. Altamente reenergizante.

Conviver com essa moçada me ajuda a seguir pondo em prática a lição que aprendi com meu amigo, guru e companheiro de Academia Brasileira de Marketing Edson Godoy Bueno (fundador da Amil): nunca deixar que minhas memórias se tornem maiores que meus sonhos.

Cheguei lá antes da 7 da noite. Saí de lá à meia-noite. E, no meio tempo, troquei idéias com algumas figuras surpreendentes. Algumas com 22, 24 anos de idade. E com um grau de maturidade e uma vontade de fazer acontecer que eu não tinha nem a pau, quando tinha essa idade.

Saí de lá mais tranquilo quanto ao futuro do Brasil. Apesar "de tudo o que está aí", dos nossos políticos safados, das diretorias do Senado, dos muitos empresários despreparados, de instituições frágeis, do excesso de burocracia, do cipoal legal e tributário, de uma Direita burra e uma Esquerda ainda mais burra, do baixo grau de educação e mais uma série de mazelas, este país tem jeito. Tem sim. E quem vai dar jeito nele é essa moçada empreendedora.