29 de mar de 2009

Maravilhoso comercial do novo carro híbrido da Honda

Um comercial em que as imagens não resultam de truques de computação gráfica, mas sim do acender e apagar sincronizados dos faróis de um montão de carros (mais de 1.000) estacionados lado a lado.

Primeiro assista ao comercial, clicando sobre esta imagem:

Depois, assista ao making-of do comercial, clicando sobre esta outra:

28 de mar de 2009

E se você se interessa por Varejo...

... sugiro que dê uma olhada na programação do Show do Varejo Bematech, que vai acontecer em São Paulo no dia 08 de abril, no centro de eventos da Fecomércio. Basta clicar aqui.

Meus sócios Dagoberto Hajjar, Ricardo Pastore e Adir Ribeiro e eu estaremos entre os palestrantes.

Se você se interessa por Empreendedorismo...

... não pode perder a edição desta semana da revista Carta Capital, que traz a tradução para o Português do excelente especial sobre o tema publicado na The Economist da semana passada.

Li o original em Londres, no fim de semana passado, e posso garantir que é material de primeira. Imperdível. Como praticamente tudo o que a The Economist produz. Aliás, o Clemente Nobrega já havia comentado esse ensaio no seu blog, nas vésperas de eu embarcar para a Inglaterra.

Se quiser ler o texto original, basta clicar aqui. Mas é bom lembrar que texto da Economist é para quem tem familiaridade com termos não muito coloquiais da língua inglesa... para dizer o mínimo.

Contra a empulhação - mais um texto brilhante do Clemente Nobrega

Meu amigo Clemente Nobrega (foto) postou ontem, em seu excelente blog, um texto que achei genial, descendo merecido cacete sobre a infeliz, desconcertante e preconceituosa fala do presidente Lula a respeito dos “banqueiros de olhos azuis”. Gostei tanto que vou me permitir reproduzir o tal texto aqui:

Contra a empulhação – texto de Clemente Nobrega:

Ao leitor que assina “KM” e mandou e-mail reclamando de meu “tom preconceituoso” no post anterior.

Preconceito? Claro que é. Preconceito contra o estereótipo politicamente correto “viva-os-pobres-índios-negros. Eles estão do lado do bem. Morte-aos-ricos-de-olhos-azuis. Eles são o mal”.

Seguinte: empulhação deseduca, infantiliza e puxa pra trás; por isso, este humilde blogueiro (hmmm…) denuncia quando detecta e está a fim de fazer dois posts no mesmo dia, como hoje. Ninguém precisa me mandar mensagens sobre meu “preconceito”. Conheço todos esses argumentos. Poupem meu disco rígido.

Esse negócio de “banqueiros malvados versus pobres desprotegidos” é EMPULHAÇÃO.

Africanos esquálidos, de cabelo pixaim, explorados por louros nórdicos (de olhos azuis, claro) é estereótipo empulhativo.

Asiáticos pobrezinnhos escravizados por grandes multinacionais malvadas idem.

Dividir o mundo em “bonzinhos” sem voz e “mauzões“ sem compaixão, é EMPULHAÇÃO. Paternalismo com “excluídos” - populações negras, mulheres, índios, pobres do bolsa-família… ajuda a perpetuar a situação em que (supostamente) estão.

Para mim, KM, é intolerável que um líder faça um discurso desses.

Os banqueiros, motivados por ambição desmedida, deram crédito adoidado a quem não poderiam ter dado? Deram. E quem pegou o crédito, não tem responsabilidade por nada não? “Ah,doutor, eu peguei uns empréstimos aí e comprei umas casinhas em Las Vegas porque os banqueiros malvados disseram que eu podia. A culpa é deles!”

Quer dizer, o cara não sabia que não teria como pagar. O banqueiro é que tinha de saber. Essa conversa mole de culpar “os maus” e retirar qualquer responsabilidade dos “excluídos” vai incentivar a formação de multidões débeis-mentais.

A única intervenção que considero razoável em favor de “minorias excluídas” é a do tipo que garante que elas não serão impedidas de entrar no jogo por serem, de alguma maneira, mais fracas. Sou a favor de medidas que garantam oportunidades para que se entre na competição em condições mínimas de igualdade.

Agora, uma vez assegurado isso, é cada pessoa, individualmente, que tem de assumir a responsabilidade pelo que acontece com ela.

27 de mar de 2009

Outdoor de camisinha, na Espanha

O genial outdoor abaixo divulga a nova camisinha Durex Performa, que, segundo a campanhar, ajuda a prolongar o prazer:

Nunca um outdoor disse tanto a respeito do benefício que o produto proporciona... usando uma única palavra.

Novidades na Nike para o Brasil

Ontem, no módulo do Seminário de Pesquisa da Abrasce (a entidade que congrega os shopping centers brasileiros) em que ambos fomos palestrantes, Xavi Cortadellas, Diretor de Varejo da Nike no Brasil, deu duas notícias muito interessantes:

1-) a Nike pretende crescer muito no Brasil nos próximos anos, principalmente através da implantação de franquias de Nike Stores em nossos principais mercados. A venda dos produtos da marca por aqui ainda não sofreu impactos negativos em função da crise e, por isso, a empresa vê o Brasil como um dos mercados do futuro, um mercado no qual vale a pena apostar; e

2-) a empresa vai implantar aqui o programa Nike ID, que permite que os clientes customizem seus calçados esportivos, tanto acessando o site a partir de qualquer computador, como via totens instalados nas Nike Stores.

25 de mar de 2009

Nova pesquisa sobre o impacto da crise

Se v. é executivo ou empresário, o Grupo Cherto, a Advance Marketing e a ESPM - Escola Superior de Propaganda e Marketing (através de seu Núcleo de Varejo) convidam você a responder a nova pesquisa sobre o impacto da crise econômica.

Trata-se da 3ª edição dessa pesquisa e vai nos permitir compreender (e mostrar a você) a evolução da percepção dos executivos brasileiros com relação à Crise desde Outubro de 2008 até agora.

Para acessar o formulário e responder, basta clicar aqui.

Como retribuição por sua participação, você receberá (por e-mail) um documento com os resultados da pesquisa, devidamente tabulados.

IMPORTANTE: encerraremos a pesquisa no dia 31 de Março às 18:00h.

24 de mar de 2009

Shopping-Center no estado da arte

Em Londres, por sugestão do Diretor da área do HSBC especializada em financiar franquias, fui visitar o Westfield London, inaugurado no final do ano passado, um dos shoppings mais bacanas que já vi.

Pé direito altíssimo, corredores super largos, cobertura de metal e vidro com formas esculturais, lojas super bacanas, uma das praças de alimentação mais bonitas - se não A mais bonita - do mundo (com "ilhas" de comida de várias partes do mundo) mais uma alameda de restaurantes de todos os níveis e tipos, serviço de concierge e mais um monte de coisas.

Confira as fotos:

23 de mar de 2009

Franchising University chega à 50ª Turma

Tiveram início hoje de manhã as aulas da 50ª Turma da Franchising University, curso criado pelo Grupo Cherto em 1993 e que - mandando a modéstia às favas - continua sendo o melhor e mais completo para quem quer saber como ser um franqueador de sucesso. As aulas irão até sexta, dia 27/03.

É divertido lembrar que houve quem dissesse, em 1995, que esse curso não chegaria à Turma nº 15. Quem disse isso alegava que eu não seria capaz de manter o curso vivo por mais tempo.

Lá se vão 14 anos. E já estamos na 50ª classe. E - graças às inovações contínuas que recebe a cada turma - o curso ainda parece bem longe de esgotar seu potencial. Já temos reservas de vagas para a "Turma da Boa Idéia" (a de nº 51).

Mas, cá para nós, a pessoa que disse aquilo tinha razão. Eu não seria mesmo capaz de manter o curso vivo durante tanto tempo. Não entendo nada de Pedagogia, nem sou um bom planejador ou gestor de programas educacionais. Sou apenas um empreendedor que gosta de criar coisas novas o tempo todo.

O mérito pela Franchising University estar cada vez melhor vai para meus sócios, para os consultores do Grupo Cherto e para os demais instrutores que, ao longo dos anos, fizeram dela o que é.

Hoje é o aniversário do Grupo Cherto

Embora - como acontece com a maioria das pequenas empresas brasileiras - tenhamos começado a operar informalmente uns meses antes, nascemos oficialmente, "de papel passado", no dia 23 de março de 1987. Foi nessa data que formalizamos o contrato social da Frase - Franchise Services, empresa que deu origem ao Grupo Cherto.

Portanto, no dia de hoje, completamos 22 anos de existência legal. O que, convenhamos, num país onde a maioria das empresas não chega ao final do quinto ano de vida, é algo a ser comemorado.

Minhas homenagens e meus agradecimentos aos profissionais de bem que, nesses anos todos, integraram nossa equipe. E foram muitos.

Sou mesmo um cara de sorte. Deus sempre olhou por mim e sempre deu um jeito de colocar as pessoas certas na minha vida. E sempre me ajudou a me livrar dos picaretas e amadores, nunca permitindo que os danos que alguns deles me causaram - e tenho lá minha coleção de desapontos - me tirassem do caminho que Ele traçou para mim.

16 de mar de 2009

Antes de embarcar...

... quero postar aqui este comercial espetacular que meu amigo Rico me enviou. Pegaram um personagem real, um homem (espanhol) de 102 anos de idade, e levaram a conhecer um recém-nascido. E gravaram o que ele achou por bem dizer ao pimpolho. Vale a pena assistir:

Temporariamente "fora do ar"

Este blog vai ficar uns dias sem novos posts. É que vou estar em Londres, participando da reunião semestral da IFCN - International Franchise Consultants Network, uma entidade que reúne as principais consultorias que trabalham com projetos de franquia de todo o mundo.

Mesmo sendo mais do que uma consultoria de franchising (somos especialistas em expansão de negócios através dos mais diversos canais de marketing - como revendas, distribuidores, representantes, porta-a-porta e outros... incluindo franquias) o Grupo Cherto é a única consultoria sul-americana que faz parte da IFCN.

Também vou participar da cerimônia de premiação, pela IFCN, das melhores campanhas de marketing veiculadas por redes de franquias ao redor do mundo todo.

E, já que vou estar lá mesmo, participo da Feira de Franquias de Londres, na qual a IFCN tem um espaço de destaque. Aliás, vou coordenar um painel de debates num workshop que acontece em paralelo à tal Feira, do qual participam franqueadores de vários países. E aproveito para me reunir com alguns franqueadores internacionais que têm interesse em trazer suas franquias para o Brasil.

Ou seja: infelizmente, vou estar ocupado demais e não vou conseguir atualizar este blog. Aliás, cá para nós, o pior nem é isso. É que vou estar em Londres durante 5 dias e não vou ter tempo nem de ir ao Tate Modern, nem de passear por Notting Hill, nem de fazer nada das coisas que gosto de fazer lá.

Mas não reclamo. Como dizia minha avó, "quem tem dó de angú, não cria cachorro". Ou seja: escolheu ser consultor, encare sem chiar tudo o que vem no pacote... Incluindo as viagens corridas.

Até a semana que vem.

15 de mar de 2009

Como conseguir um emprego

Este comercial da Pepsi Max que o Gândara me enviou ensina um bom truque para conseguir um emprego muito disputado:

14 de mar de 2009

13 de mar de 2009

Um exemplo para todos nós

Recebi, há pouco, o seguinte e-mail do meu cliente e amigo Fabio Bueno Netto, o criador da rede 24X7, de máquinas de vender livros. Espero que ele me perdoe por transcrevê-lo aqui, mas achei que o que ele diz vai servir de motivação para muitos dos leitores deste blog.

Prezado Marcelo:

Algumas coisas realmente nos dão uma enorme satisfação, orgulho e nos emocionam.

Na família do meu pai os filhos mais velhos, de um total de nove, trabalhavam para ajudar meus avós a tocar os negócios e proporcionar estudo para os mais novos dentro do devido tempo de escola.

Lembro de meu pai comemorando os 40 anos de idade estudando para prova do dia seguinte na faculdade de Economia da PUC de Campinas.

Aos 47 anos teve uma fratura de coluna cervical seguida de uma peritonite aguda que quase o fez sucumbir. Ficou pesando entre 40 e 45 quilos (ele tem, digo, tinha 1.80 de altura como eu, está encolhendo). Ficou mais de 6 meses dentro de casa, após mais ou menos um mês de hospital.

Lá pelos 60 anos, fez curso de mediador e foi voluntário de Câmara de Arbitragem em Curitiba.

Participa de feiras de tudo quanto é coisa junto comigo, quando vamos em viagens para fora do Brasil, para satisfazer suas infindáveis curiosidades, propostas e realizações de inovações.

É daquelas pessoas que ouviram dizer que existe um quadrado, mas achou que era lenda.

Aos 65 anos, foi fazer pós-graduação em produção industrial na Universidade Federal do Paraná.

É meu sócio e conselheiro desde o meu primeiro negócio.

Decidido a viver pelo menos 100 anos com boa qualidade de vida, com carga genética para tal, aliada aos avanços da medicina, pratica esportes diariamente, faz parte do conselho de segurança de Maringá, é um disseminador de idéias de cidadania e melhoria de qualidade de vida.

Hoje, 13 de março de 2009, a três meses de completar 76 anos, estava radiante, pois ontem foi seu primeiro dia de aula na Faculdade de Direito em Maringá.

Abraço

Fabio

12 de mar de 2009

Imperdível = a coluna de Clemente Nobrega na Época Negócios

Mesmo me arriscando a tomar um pito do próprio Clemente ou do meu ex-chefe Nelson Blecher (que, nos anos 1980, me contratou para escrever uma coluna semanal sobre Franchising na Folha de S. Paulo, coluna esta que durou 10 ou 12 anos - e que hoje comanda a Época Negócios), reproduzo aqui o texto da excelente coluna do primeiro na edição de março dessa publicação:

A engenharia da inovação (por Clemente Nobrega, em 10/03/2009)

Inovação é gerar dinheiro novo. Tudo o que gera dinheiro fora do molde usual é inovação. Se não gera, não é, é apenas novidade. E novidade que não dá dinheiro é irrelevante em negócios. O problema com dinheiro novo é que, dito assim, não leva à ação, é vago demais. Sem especificação não se constrói. É isso.

Inovação é uma engenharia. Vamos às suas fundações. Dinheiro novo é gerado de várias maneiras. Basicamente: novos produtos, novos processos de produção e venda ou novos modelos de negócio. Modelo de negócio é o apelido que se dá à fórmula que permite ganhar mais do que se gasta.

Às vezes, a quebra do molde usual vem de produtos (iPod e Viagra), às vezes, de um material novo (Nylon). Empresas de sucesso na Internet (Google, Amazon) são moldes novos construídos sobre a infra-estrutura da rede. Todo mundo busca dinheiro novo -- a GE, a Petrobrás, a Casas Bahia, o boteco da esquina. A primeira regra da engenharia da inovação é a seguinte: cada modelo de negócio tem de adotar ênfases diferentes para inovar.

Em geral, qualquer negócio se enquadra em um de três modelos. Há os especializados em articular demandas desarticuladas que recebem de clientes, oferecendo soluções únicas de alto valor agregado. Agências de propaganda, escritórios de advocacia, consultorias em geral, entregam soluções assim - sob medida. Já chamaram isso de modelo de intimidade com o cliente, agora estão chamando de solution shops. A Casas Bahia fez sua fama e fortuna oferecendo crédito sob medida à gente pobre. Solution shop para baixa renda. Chic né?

Outras empresas recebem inputs banais e agregam valor a eles numa cadeia padronizada de operações e procedimentos que garante custos baixos - é o caso de Wal-Mart, Toyota e McDonald's.

Por fim, há empresas que se especializam em lançar produtos na crista da onda dos setores em que atuam. São as líderes em produto, como Apple, Nike, Procter&Gamble. O sucesso dessas companhias depende da rapidez com que lançam produtos de sucesso.

Inovar para uma solution shop (McKinsey, clínicas de cirurgia plástica) estará sempre ligado às capacidades inventivas/criativas/não padronizadas. Inovação aqui é centrada em talento humano. Gente, gente, gente.

Nas empresas tipo cadeias de valor agregado (Toyota, Wal-Mart) isso não ocorre; o foco delas são processos padronizados, não gente especial (gente é facilmente intercambiável nesse modelo. É politicamente incorreto falar assim, mas é isso).

A ênfase das líderes em produto (Pfizer, Nokia) é em tudo o que leve a mais produtos novos em menos tempo. As pressões dos mercados estão, inclusive, obrigando empresas desse tipo a terceirizar seus processos de pesquisa e desenvolvimento para dar mais rapidez aos seus lançamentos -- tremenda inovação num processo que sempre foi o xodó delas. Mais da metade da receita da Procter&Gamble já vem da orquestração de redes externas de P&D.

A primeira coisa a fazer num projeto de inovação é fatiar o boi, ou seja, descobrir onde colocar o foco para gerar dinheiro novo no modelo de negócio que sua empresa adota. Vou falar mais sobre a engenharia de inovar na próxima coluna.

(texto publicado na Revista Época Negócios - Nº 25 - Março 2009 - Coluna INOVAÇÃO)

Visite o blog do Clemente Nobrega e coloque lá seus comentários sobre o texto acima. E também assista ao vídeo que postei anteontem, aqui neste blog.

Coca-Cola - comercial espetacular

Veja que máximo este comercial que minha amiga Flávia Lafetá Couto Guimarães me enviou:

Dispensa comentários...

Veja só o que diz o adesivo da Kombi que minha amiga Stella Susskind fotografou ontem, rodando por São Paulo:

Caso esteja difícil de ler, a mensagem é: "Bolsa Família foi ótimo, Governo. Vamos criar, antes que seja tarde, a Bolsa Laqueadura e Vasectomia".

11 de mar de 2009

O primeiro emprego de Michael Dell... foi de vendedor

Clique aqui para assistir ao vídeo em que conto para a simpática jornalista Carolina França, da Exame PME, como foi que Michael Dell - o todo poderoso fundador e comandante da toda poderosa Dell - se saiu no seu primeiro emprego (um trabalho temporário, nas férias... como vendedor de assinaturas de jornal por telefone).

Você vai descobrir que embora sorte, talento e dedicação sejam fundamentais, quem faz sucesso na vida geralmente tem boa cabeça... e a usa bem.

10 de mar de 2009

Clemente Nobrega fala de Inovação

Nos últimos tempos, o tema Inovação tem estado muito presente na minha vida, até em função do tempo e da energia que meus sócios e eu temos devotado para garantir que a GrowBiz - Grow Your Business (empresa que resultou da fusão das áreas de consultoria e de educação corporativa das empresas Cherto + Advance + Ricardo Pastore) nasça e cresça como uma consultoria capaz de inovar continuamente.

Uma das pessoas que, a meu ver, trata com muita propriedade desse tema (Inovação) é meu amigo, guru e parceiro em vários projetos Clemente Nobrega.

No vídeo a que você pode assistir clicando sobre a imagem abaixo, Clemente comenta sua coluna da revista Época Negócios deste mês e dá uma pincelada rápida numa visão que ele, eu e meus sócios temos discutido longamente: só constitui mesmo inovação aquilo que gera dinheiro novo. Ou seja: que gera uma grana que a empresa não faturaria se continuasse fazendo as coisas do mesmo jeito como vinha fazendo.

Vale a pena conferir:

Loja de franquias supera expectativas

A Franchise Store, única loja de franquias em funcionamento no Brasil, tem superado as expectativas em todas as frentes. Talvez em consequência da crise, que tem provocado a demissão de muitos executivos altamente qualificados.

Dois anos atrás, a média, para a equipe de expansão do Grupo Cherto, era de pouco mais de 220 candidatos a franqueado atendidos para cada franquia comercializada. Hoje, a média está em 48 candidatos para cada franquia vendida.

E tudo indica que esse número tende a cair, em função da alta qualificação dos novos candidatos que têm visitado a Franchise Store.

9 de mar de 2009

Aprenda, Ronalducho !!!

Assim, no próximo gol, você comemora de um jeito melhor, sem o risco de derrubar o alambrado, que deve ser feito para aguentar peso apenas até um certo limite.

Veja como este sujeito comemora o ponto, numa partida de ping-pong (ou será tênis de mesa?):

8 de mar de 2009

Dia Internacional da Mulher

Tem gente que considera machista um Dia Internacional da Mulher. Não concordo. E conheço muito mais mulheres que gostam que exista um Dia Internacional da Mulher do que mulheres que o deploram.

Portanto, feliz Dia Internacional das Mulheres a todas as leitoras deste blog.

7 de mar de 2009

Como serão as vending-machines do futuro?

Serão assim as vending-machines, daqui para a frente? (ainda mais tecnológicas)

Ou serão assim? (com um toque mais humano)

6 de mar de 2009

Com vergonha de ser católico

Cristão, crente em Deus e católico que sou, me envergonham o fundamentalismo e a falta de sensibilidade (para dizer o mínimo) do Arcebispo de Olinda e Recife, Dom José Cardoso Sobrinho, que excomungou os médicos que interromperam (absolutamente de acordo com as normais legais vigentes no Brasil, diga-se de passagem) a gravidez de uma menina de apenas 9 anos de idade - a qual, vítima de estupro pelo próprio padrasto, esperava gêmeos.

Note-se que uma criança de 9 anos não tem estrutura física - para não mencionar a psicológica, a intelectual e a moral - para parir nem um, quanto mais dois, bebês. Aliás, por isso mesmo, a vida da menina estava em risco.

Mas o religioso, radical como um Bin Laden católico, não quis nem saber e condenou os médicos a torrar nas chamas do inferno.

É por atitudes como essa que minha Igreja vem perdendo tantos adeptos. Eu mesmo me pergunto se faz sentido continuar professando uma fé cujos líderes demonstram tanta falta de noção da realidade.

Gostaria de saber se o Arcebispo alguma vez excomungou o assassino de algum pai de família. E algum político corrupto? E algum padre pedófilo?

Vamos parar de falar em Inovação e falar só em Gestão

Tempos atrás, meu amigo, parceiro e guru Clemente Nobrega me disse que eu deveria me sentir inteiramente à vontade para reproduzir aqui, neste blog, os textos dele. Então, aí vai um texto que achei simplesmente imperdível:

Devemos parar de falar em inovação, devemos falar só de gestão (texto de Clemente Nobrega):

'Gestão e Inovação hoje são sinônimos. Deveríamos usar só um dos dois termos. Antigamente, administrar significava supervisionar - tomar conta, garantir que o que era para ser feito estava sendo feito de acordo com certo “molde”. Hoje, ninguém precisa mais de supervisores porque não há mais “certo molde” no sentido em que havia no passado. O molde é mutante.

O termo “inovação” dá a entender coisas novas, mas inovação não é necessariamente sobre “coisas novas”. Inovação é o que se tem de fazer para que a empresa gere “dinheiro novo“. Pode ser até sobre coisas velhas . A DELL, há cerca de um ano, passou a vender seus computadores em lojas de varejo - uma coisa velha, que muitos já faziam, mas não a DELL, que só vendia direto. Essa “coisa velha”, se der dinheiro, será dinheiro novo e, portanto, será uma inovação para a DELL. Há empresas (HP) abrindo lojas próprias - uma coisa velha. O que elas querem? Você sabe…A métrica é sempre dinheiro.

Isso é assim porque em todos os setores há competidores que lançam, toda hora, produtos novos(que dão dinheiro), introduzem toda hora ferramentas, canais de venda, processos e técnicas novas(que dão dinheiro), mudam rápido, a toda hora, para “gerar dinheiro novo”.

Quer dizer, gestão não é mais sobre ADMINISTRAR UM MOLDE, mas sim um processo, cujo objetivo é gerar dinheiro novo continuamente. Esse processo se chama “inovação”'.

Até quando vamos tolerar?

Peço que o leitor releve o péssimo Portugues de quem redigiu a frase que aparece logo na abertura e se concentre nas informações contidas no restante deste vídeo:

É uma vergonha! Um abuso! Até quando nós, brasileiros que integramos o setor produtivo, vamos tolerar isso?

4 de mar de 2009

A criatividade do brasileiro: o novo apelido do Obama

A brasileirada é fogo. Não perdoa ninguém.

Sabe como estão chamando o Obama? De OB. Afinal, ele está no melhor, mas no pior momento.

Chilena Doggis já está com os dois pés no Brasil

A rede de fast food chilena Doggis (cliente do Grupo Cherto), em associação com a rede Bob's (também cliente do Grupo Cherto), abriu seu primeiro ponto de venda no Brasil. Foi esta loja temporária, que funcionou no Sambódromo do Rio durante o Carnaval:

Os ótimos hot-dogs da Doggis foram muito bem aceitos pelos cariocas e turistas que circularam pela Marquês de Sapucaí. Inclusive e especialmente um, a respeito do qual eu devo confessar que tinha lá minhas dúvidas: o hot-dog com molho de guacamole. Pessoalmente, gosto muito desse produto, mas não estava seguro de que os brasileiros o aprovariam. Pois aprovaram.

Logo mais começará a abertura de lojas permanentes Doggis, tanto próprias, como franqueadas, por todo o território brasileiro. Em paralelo, serão abertas lojas Bob's no Chile.

3 de mar de 2009

Gatos discutindo a relação

Foi a Marilia Fanucchi Ferraz quem me enviou. Como disse ela, quem inseriu as legendas deve ter uma história sofrida de relacionamento para contar...

Outdoor poético

Para divulgar uma tinta que pinta "com cores naturais":

2 de mar de 2009

Bob's no túnel do tempo

A rede Bob´s inaugurou recentemente, em Ipanema, um ponto de venda temático, o Bob's Original, ambientado com imagens das décadas passadas (ver fotos abaixo). O cardápio também é especial, uma verdadeira viagem no tempo, pois inclui itens que foram sucesso nas lojas da rede anos atrás, como Vaca Preta, Banana Split, sanduíches de Pernil com Molho, de Queijo com Banana, de Salada de Ovo, de Salada de Presunto e Ham & Eggs, para não falar do saudoso Hot Fudge.

Infelizmente, por serem altamente artesanais, é improvável que venham a integrar o cardápio das demais lojas da marca.

Veja as fotos: